domingo, 29 de março de 2009

Aviso aos becodalamenses

Meu povo boêmio, a vida é curta e a poesia também acontece fora dos muros do Beco da Lama. Aprecio deveras aqueles chãos. Frequento. Torço pelo bem de tantos projetos e do sonho não distante da revitalização do Centro Histórico. E minha torcida acaba aí. Se Dungas, Chorões e Zangados, ou Lulas, Povos e Lagostas disputam a eleição de uma entidade de poderes além da conta, que vença o de melhor intenção e vontade para reerguer aquele espaço de tantas adjacências.

Escrevo estas mal traçadas apenas para justificar o que nada tenho culpa: a foto de destaque em matéria cujo interesse é o leitor. Sou repórter. Não escolho foto nem título. Às vezes sugiro. Não foi o caso. Quanto à matéria, esta sim, de minha responsabilidade e sugestão, ouvi Dunga, que vem cobrando a tal reunião há tempos e isso, para mim, justifica a fonte, e Júlio César, gestor interino e responsável pela convocação. Um disse que a adjunta, Civone, foi destituída. O outro disse que a assembléia para tal nunca houve. As duas versões foram publicadas. Para quê tanta raiva, meu Deus?

Falava este sábado ao Leo Sodré: escrever sobre Beco da Lama é sempre chato. Sempre desagrada um ou outro. Escrevo pisando em ovos, medindo palavras para não ferir esses "poetas" tão sensíveis. Ainda assim, nenhum jornal tem conferido tanto espaço para figuras e fatos dali. Nem de perto, arrisco dizer. Ao ponto do chefe de Redação até reclamar do exagero. Meu editor avisou que Doriam vai amanhã no jornal. Que bom. Que venha com outras novidades, não para acirrar intrigas, disputas, micuinhas. Se torço por algo ali é pela unidade e fomento de projetos bacanas. E só.

3 comentários:

  1. Desejo que na luta pela recuperação do Centro Histórico e do Beco da Lama começem por ações de limpeza das ruas, inclusive com a participação dos proprietários de bares. As atividades pelo dia da poesia deveriam ter ocorrido em frente ao palácio da cultura, pelo menos o show de Jessier Quirino que foi de um desconforto!!! Faz mal a cultura popular conforto ambiental (limpeza, ventilação e presença de jardins e árvores?

    ResponderExcluir
  2. Eu não aguento as picuinhas dessa sociedade...

    ResponderExcluir
  3. eduardoaag@gmail.com30 de março de 2009 12:55

    Sérgio,

    Para que você possa formar melhor juízo sobre o que acontece hoje na SAMBA, é necessário que ouça Civone Medeiros, a diretora adjunta eleita e empossada, mas DESTITUÍDA à revelia do cargo por não estar com o seu CPF em dia, já que passara alguns anos na Europa e não apresentara à receita a sua declaração.
    Que se saiba, a SAMBA não é Receita Federal, nem SPC nem Serasa. Mesmo assim, destituiram-na do cargo por não poder abrir uma conta em banco, impedimento que também atingia ao Diretor Executivo, que, no entanto, continuou no cargo.
    É uma história absurda de assoberbamento de poderes para uma assembléia que não foi publicizada nem antes nem depois de acontecida.
    Isso foi no início da atual gestão que agora se finda e só agora tomamos conhecimento de que a SAMBA tem um outro diretor adjunto, ungido de tal assembleia.
    Se lhe interessar ouvir a Diretora "destituída", tenho o seu número de telefone.

    Eduardo Alexandre

    Por este pecado, Civone

    ResponderExcluir