segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Sobre o que fala o filme Cisne Negro?

por Pablo Capistrano

Na verdade essa é uma pergunta estúpida. Obras de arte não falam sobre alguma coisa. Elas mostram aquilo sobre o qual supostamente deveriam falar. Nosso discurso dissertativo, nossa prosa filosófica, nosso ensaísmo linguístico é que nos joga no mundo da representação.

aqui

Do blogueiro: Só para complementar algo, Clotilde Tavares trouxe interpretação bem incomum ao filme. Para ela, a mãe de Nina (protagonista) não existe ou é fruto da imaginação perturbada da bailarina. Achei bem interessante.

De selo à editora Jovens Escribas

Carlos Fialho comunica via e-mail que finalmente saíram todos os documentos necessários para que o então selo Jovens Escribas agora é empresa formalizada. Os Jovens Escribas agora estão registrados como Editora de livros, Distribuidora de livros e já inscritos na Biblioteca Nacional, aptos a tirar números de ISBN.

Esta semana a galera já encaminha o primeiro trabalho de 2011 à gráfica. É o livro “Pés no caminho, chão de estrelas: o caminho de Santiago pela Galícia”, de autoria de Ana Célia Cavalcanti. O livro é o segundo do selo “Bons Costumes”, nossa divisão de Não-ficção e obras encomendadas. Ana Célia é irmã de dois proeminentes escritores da vida cultural natalense: Carito e Mário Ivo. O livro será lançado no início de abril.

A mulherada dá show nesta terça-feira no Centro

As cantoras Maristela Marsicano, Edja Alves, Fátima Águiar, Nevinha Bandeira e Dani Negro fazem nesta terça show gratuito em homenagem às mulheres.

Para abrir o mês das mulheres, o Coletivo Leila Diniz, organização não governamental que divulga e defende os direitos das mulheres no RN, levará para o Centro da Cidade uma programação com música, instalação para grafitagem e performances artísticas.

O show Pela Liberdade das Mulheres acontece em alusão ao 8 de março, Dia Internacional das Mulheres, que cai numa terça-feira de carnaval.

O início é às 18h, na Praça Vermelha. Com clima de carnaval, o evento será aberto às 16h, nas ruas do centro da cidade com um cortejo puxado pelo grupo de percussão Pau e Lata e que terminará na Praça André de Albuquerque ás 18h onde, no palco, serão apresentados os shows das cantoras.

A programação também inclui intervenção artística e montagem para grafite e tendas para divulgação de serviços e com alguns artesanatos produzidos por mulheres. A programação é toda gratuita.

Programação:

Cantoras: Maristela Marsicano, Fátima Aguiar, Dani Negro, Edja Alves e Nevinha Bandeira. Performances artísticas, Pau e Lata, e graffitagem.
Quando: Terça-feira
Onde: Concentração e saída do Cortejo às 16h no Centro Da Cidade com o grupo Percussivo Pau e Lata
Shows: às 18h na Praça André de Albuquerque (Praça Vermelha) Ao lado do Palácio da Cultura
Acesso gratuito
Realização: Coletivo Leila Diniz
Produção: Marcelo Veni Produções e Edições Musicais
Contatos coordenação do CLD: Analba Brazão 9413 3656 / Joluzia Batista 9156 5518.

Só falta bater o martelo para a chegada de Roberto Lima

Pelo visto, não foi barrigada. A jornalista Anna Ruth acaba de publicar o seguinte:

A prefeita de Natal Micarla de Sousa optou por fazer uma acomodação com o professor Roberto Lima, hoje secretário municipal de Administração.

Ele deixa a pasta, que será ocupada por Vagner Araújo, e será nomeado para presidente da Fundação Capitania das Artes, onde hoje está Rodrigues Neto. Mas a prefeita também deverá acomodar Rodrigues Neto; só ainda não definiu o destino.


E como já foi dito, o jornalista gente boa Paulo Araújo saiu da direção geral da TV Ponta Negra - posto antes ocupado por Rodrigues Neto. Talvez o atual presidente da Funcarte volte pra lá. Como eu disse, só falta o anúncio oficial para nomeação de Roberto Lima. E como sabemos, o Diário Oficial não roda hoje. Quem sabe amanhã.

Dia da Poesia - programação da FJA

A Fundação Zé Gugu divulgou agora a programação do Dia da Poesia, montada por Carlos Gurgel. Foi a melhor que vi nos últimos quatro anos, incluindo fundações do município e estado. Gurgel ressalta que tentou incluir poetas populares, mas Antônio Francisco vai ser homenageado no mesmo dia, na programação em Currais Novos, pelo pessoal do Casarão da Poesia. Assim como Drika Duarte, que no dia 14, apresentará na Livraria Siciliano o seu recital.

"Assim sendo, percebo que os poetas que estão na programação são como cúmplices de um mesmo verbo. Aquela escola onde os seus versos mergulham como faíscas acesas. Não que os outros não mergulhem, nada disso. É só uma observação a respeito da cumplicidade entre todos que na programação se encontram. Outras programações, poetas virão. Ai, essas tendências se manifestarão. Mas, acredito que pela expressividade do que essa programação espelha, o público gostará. É isso. Mais um vez, obrigado", completa o poeta Gurgel.

Esta edição do Dia da Poesia homenageia o poeta parcimonioso e íntimo articulador das palavras, Luís Carlos Guimarães, nos seus dez anos de encantamento.

Programação

9h – Chantagem do busto do poeta Othoniel Menezes (Passarela da Fortaleza dos Reis Magos).

TEATRO DE CULTURA POPULAR
(anexo Fundação José Augusto)

16h - Execução do hino do Rio Grande do Norte pela Camerata Potiguar, regida pelo maestro Paraguai, tendo como soprano, Alzeny Nelo.
- Palavra da Exma. Governadora ROSALBA CIARLINE
- Apresentação do grupo “Poesias & Flores Em Caixas” – (Michelle Ferret)
- Lançamento da Coleção Cultura Popular (FJA): Dorian Gray, Maia Pinto, Adriano de Souza e Antônio Júnior

POESIA EM PALCO
- Plínio Sanderson
- Marcos Cavalcante
- Caritó
- “Gato Lúdico“ (Vicente Vitoriano)
- Grupo Escolar” (Marcelus Bob)
- Celso Borges (MA)
- Wilmar Silva (BH)
- Livre Acesso
_________________________________________

SOBRE OS POETAS:

- Poesias & Flôres em Caixas - Michele Ferret - seu grupo espalha delicadeza e luz. beleza e revelações.tons verbais que encantam e nos transformam em candidatos a mártires.

- Plínio Sanderson - pela sua performance no palco, com versos incendiários.

- Marcos Cavalcante - pela sua excentricidade. expressividade. na voz. no gesto. no verbo.

- Carito - pela sua contemporânea poesia. lúdica e audaz.

- Gato Lúdico - Vicente Vitoriano - pela sua trajetória. como grupo vocal que marcou época nos anos 80 em Natal reunido novamente especialmente para o dia da poesia. nosso "Secos & Molhados". tendo como mentor, o irretocável artista plástico, o mossoroense Vicente Vitoriano.

- Grupo Escolar - Marcelus Bob - também oriundo dos anos 80. um rock com poesia que celebra a vida vigorosamente. e pelo carísma do seu líder, o artista possibilista, Marcellus Bob.

- Celso Borges (MA) - Maranhense, parceiro de Zeca Baleiro, Rita Ribeiro e tantos outros compositores brasileiros. sua poesia trafega entre uma aurora esquecida e os elementos de uma contemporaneidade absurdamente bela, passional e feérica. tendo ao seu lado, o muiti-instrumentista maranhense Christian Portela.

A POSIÇÃO DA POESIA É OPOSIÇÃO
Poesia e música

Espetáculo poético-musical do poeta e letrista Celso Borges em que ele interpreta poemas de seus dois livros-CDs, XXI (2000) e Música (2006), entre eles Linguagem, Persona Non Grata, Matadouro e Pária. A POSIÇÃO DA POESIA É OPOSIÇÃO tem trilhas e interferências sonoras executadas pelos instrumentistas Franklin Portela (guitarra) e Luiz Cláudio Faria (percussão).

Voz, guitarra e percussão proporcionam uma estrutura sonora ao poema além da sua própria musicalidade, ampliando o texto para além da página do livro. A idéia é valorizar a linguagem falada em diversas possibilidades.

A POSIÇÃO DA POESIA É OPOSIÇÃO apresenta um painel de experiências, fruto da inquietação de Celso Borges e sua busca pelas diversas possibilidades de dizer o poema. Ao abrir um leque inovador de diálogo entre a palavra e a música, o artista assume uma posição contemporânea no mapa da poesia brasileira.

A POSIÇÃO DA POESIA É OPOSIÇÃO investe em experimentações em torno da palavra dita, saída do papel, ganhando vida em voz e arranjos instrumentais. Mas isso não impede que, aqui e ali, alguns poemas sevistam de canção. Ou mesmo criem atrito com ela. Em síntese: música da palavra, palavra musicada, música falada, música calada, palavra cantada, música celebrada, poesia a toda prova!

A performance estreou em abril deste ano, na 6ª edição do projeto Catarse – reunião de artistas de todas as linguagens no palco do Sesc Pompéia, em São Paulo (material de divulgação em anexo). Na ocasião, o poeta Celso Borges foi acompanhado pelo guitarrista paulistano Rafael Agra.

Rodrigues Neto ou Roberto Lima?

Se foi barrigada minha notícia da queda de Rodrigues Neto, só o anúncio da reforma do secretariado pela prefeita Micarla de Sousa vai dizer. Rodrigues Neto continua no gabinete. Mas talvez falte apenas a palavra oficial.

Na tarde de sexta-feira, quando soube, eu estava em um bar e recebi mensagem de celular de Ilana Félix. Liguei para outra fonte e confirmei a informação. Pouco depois, a notícia da saída de Rodrigues Neto era febre no Beco da Lama. Em seguida, tive outra comprovação de uma funcionária da Funcarte lá no Buraco da Catita.

Procurei hoje a origem da notícia porque novos rumores atestam a permanência de Rodrigues Neto à frente da Funcarte. Ao que parece, o furo foi dado pelo jornalista Diógenes Dantas no Nominuto e no twitter. Depois a notícia se espalhou. E sob uma coincidência: o diretor geral da TV Ponta Negra, jornalista Paulo Araújo, foi exonerado. Lógico, Rodrigues Neto reassumiria o cargo.

Na Funcarte, os telefones fixos, pasmem, estão bloqueados. Pelo celular, minha fonte disse apenas que o nome de Roberto Lima está na roda de buxixos, mas que uma das chefes de departamento lá assegurou que ele não cai.

Minha opinião? A prefeita deveria esperar o fim do carnaval. E Rodrigues Neto deveria sair, até para poupar mais desgaste e voltar à TV Ponta Negra onde fazia um bom trabalho.

2º Baile à Fantasia do Centro Histórico


Sem patrocínio do poder (?) público, o Centro Histórico apresenta uma das programações carnavalescas mais completas da cidade. O produtor Marcelo Veni já me enviou uns quatro releases. Vai ter desde hip hop à festa rave comendo, literalmente, no Centro. E agora o presidente da Samba (Sociedade dos Amigos do Beco da Lama e Adjacências) me envia este flyer invocado, apresentado em primeira mão la no Bar de Nazaré, sexta-feira.

Então, na sexta, tentem acompanhar o pique Khrystal, dos sambistas da velha guarda do Nós do Beco e da orquestra de frevo. Lembrando que às 18h, ali pelos arredores do Bar de Nélio (próximo à prefeitura) o bloco Manicacas do Frevo inicia a festa. Antes das 20h, inicia o percurso pelas ruas do Centro guiado pela orquestra de frevo que continua a folia nos jardins da Pinacoteca, no baile do Centro, com início às 20h e sem hora pra terminar.

E Manicaca que é Manicaca se previne, por isso o bloco distribuirá 600 camisinhas durante o percurso da banda e no baile da Samba. Como o calor tá de matar, e Manicaca não pode ficar de "fogo" também será distribuído um abanador para que esse "fogo, não apague, mas fique brando...". Tudo foi feito em parceria entre Manicacas e Samba, e também com o produtor Lula Belmont que montará o bar do Bardallo's no Baile.

Baile de Máscaras abre oficialmente o carnaval

Release

O Carnaval de Natal será aberto oficialmente nesta quinta-feira (3), a partir das 19h, no tradicional Baile de Máscara, em Petrópolis. Um grande baile no Largo do Atheneu com animação por conta de Orquestras de Frevo, Dodora Cardoso e Itanildo Show e o Carnaval do Meu Amor.

O evento será o ponta pé da programação carnavalesca que acontece entre os dias 4 e 9 de março. Onde serão investidos recursos na ordem de aproximadamente R$ 1,74 milhão na programação do reinado de momo , que ganhará as ruas de Natal nos próximos dias. Nessa noite o Rei Momo e a Rainha do Carnaval receberão as chaves da cidade das mãos da Prefeita Micarla de Sousa.

Este ano as atrações serão distribuídas em seis circuitos (Redinha, Ponta Negra, Centro Histórico, Ribeira, Rocas, Alecrim, Guarapes). A partir da sexta-feira no circuito do Centro Histórico começa os festejos com o desfile dos blocos. O domingo de carnaval fica por conta da irreverente escolha da Rainha das Kengas.

O tradicional circuito da Redinha ganhará dois pólos, um na Praça do Cruzeiro e outro no Largo do Buiú. A folia ganha as ruas de Ponta Negra a partir do sábado de carnaval. Um palco será montado para receber as atrações musicais, além do desfile de blocos de rua como irreverente bloco Poeta, Carecas, Bruxas e Lobisomens e do Ia Mas Fiquei. A Vila de Ponta Negra será embalada ao som do Carnavila.

Nos circuitos das Rocas e do Alecrim a alegria fica por conta dos blocos de rua. 23 blocos desfilam pelas ruas além das apresentações no palco montado na Travessa Pereira Simões. No bairro do Alecrim cerca de 40 blocos irão percorrer as ruas do bairro, sete atrações musicais se apresentam no palco localizado ao lado do Mercado da Avenida 6. Um cortejo cultural abre o Circuito Guarapes na segunda e terça-feira, além de apresentações musicais no Campo de Futebol e na Praça dos Guarapes.

Os desfiles das tribos indígenas e das escolas de samba acontecem no circuito Ribeira. Na segunda e terça-feira de carnaval o pólo ganhará a mistura de ritmos com os 10 anos da Casa da Ribeira e DoSol.

SOBRE O BAILE DE MÁSCARA
Completando 16 anos, o Baile de Máscara surgiu da iniciativa dos freqüentadores da confeitaria, entre eles Odemam Júnior, Augusto Leal, Ronald Gurgel, Elio Newson e Airton Bulhões que saiam com bandinhas de frevo, utilizando máscaras e fantasias. O evento que inicialmente ficava restrito aos confeitaristas e moradores de Petrópolis, tomou grandes proporções e a nove anos faz parte da programação oficial do carnaval promovido pela Prefeitura Municipal do Natal.

A queda de Rodrigues Neto

por Tácito Costa
no Substantivo Plural

A regra nessa administração tem sido essa: “as pessoas erradas nos lugares errados”. Isso resultou em trocas quase mensais de secretários. Para evitar vexames o uso do crachá tornou-se obrigatório, é a única maneira de saber quem ainda permanece secretário.

Bom, Micarla só tem mais dois anos de mandato. Ufa! Alguns poucos crédulos continuam esperando que ela comece a administrar. A essa altura prefiro que ele fique parada, não faça nada, absolutamente nada, isso facilitará a reconstrução de Natal.

aqui

Entrevista - Moacyr Scliar


Minha homenagem ao escritor Moacyr Scliar, que morreu ontem, deixo a entrevista feita em novembro de 2007. Fiz uma outra depois, mas não achei - quando mudaram o tamanho do DN também retiraram os arquivos antigos da net. Na ocasião desta entrevista abaixo, durante o ENE, o escritor gaúcho me recebeu com toda a simpatia. Até elogiou minha forma de abordagem e insinuou - Canindé Soares é testemunha - um convite a este humilde repórter para trabalhar no Zero Hora. Segue a conversa, publicada no Diário e Natal.

por Sérgio Vilar

no Diário de Natal

Moacyr Scliar é um dos escritores mais conhecidos da atualidade. E desenvolve a atividade de forma paralela. De ofício, ele é médico; e renomado na área. Embora seja difícil, em prima, pensar em um escritor de ofício. Fato é que já publicou mais de 70 livros e foi convidado a debater jornalismo e literatura durante o Encontro Natalense de Escritores. Sentou à mesa junto com o jornalista e poeta José Nêumanne Pinto e o diretor de Redação do Diário de Natal, Osair Vasconcelos.

A entrevista se deu após seus apontamentos no palco. Entre eles, uma observação do escritor Ernest Hemingway: “Todo bom jornalista tem de passar por uma redação”. O escritor e médico foi colaborador de diversos jornais de mídia impressa, como o Zero Hora e Folha de São Paulo. Na redação mesmo, nunca trabalhou. Como escritor, só não publicou livro de receita. Entre suas obras estão livros de crônicas, contos, ensaios, romances e literatura infanto-juvenil.

Após a palestra que antecedeu o concorrido show de Zeca Baleiro, o também disputado escritor conversou rapidamente comigo e comentou alguns aspectos dos quais foram temas de livros seus:

Opinião de médico: qual a doença do socialismo?
O socialismo passou por muitas crises quase mortais. A principal delas foi a queda do comunismo. Para minha geração foi uma desilusão tremenda porque foi uma geração que cresceu acreditando na União Soviética e na possibilidade de ascender o socialismo no mundo. Isso acabou e o socialismo vai ter que mudar seus objetivos. Terá que ser mais modesto. Mas continua uma causa justa. Enquanto houver desigualdade, miséria, opressão, a idéia tende a ficar.

Onde ele terá que ceder?
Talvez a idéia de estado socialista já não se impunha. Mas a idéia filosófica socialista pode ser incorporada aos governos.

Qual foi o crime da classe média?
A vaidade, o narcisismo, essa coisa de girar em torno do próprio umbigo. É o crime de não se preocupar com o resto da população.

Em qual quarteirão a literatura invade o terreno do jornalismo?
A área que eles coexistem é a crônica.

Durante o dia, quando Moacyr Scliar incorpora o romancista, o cronista e o poeta?
No jornal nunca sou romancista nem ficcionista. Mesmo que esteja fazendo texto que não corresponda à realidade, ele está dirigido aos leitores do jornal, portanto, é jornalismo.

Onde o senhor pesca os temas para as crônicas?
Basicamente do noticiário ou do que as pessoas comentam na rua, no ônibus, nos cafés.

A melancolia pode ser produtiva?
Claro. Muitas pessoas encontram na tristeza, no inconformismo, no mau humor material para criar na literatura, na música, na pintura. Isso não só diminui como humaniza o seu sofrimento e os seus sentimentos. Quando lemos um livro de um melancólico como o escritor Franz Kafka, que teve uma vida de intenso sofrimento psicológico, nós partilhamos de sua angústia – o que nos torna melhores.

Qual o livro-reportagem que o senhor gostaria de ver publicado?
Gostaria de ver alguma coisa desse gênero relacionado à medicina.

Carta denúncia de Ilana Félix contra a Funcarte

por Ilana Félix
Carta Denúncia da ex-assessora da Funcarte a ser distribuída hoje durante o Fórum de Cultura Potiguar para colher assinaturas e encaminhar à coordenação da Promotoria do Patrimônio Público, na pessoa do promotor Eudo Rodrigues Leite

Senhor Promotor,

Encaminhamos relatório com algumas condutas recentemente adotadas pela FUNCARTE, administração indireta de Natal, para conhecimento e análise do Ministério Público:

1. Burla à Lei 4.320/67 no momento que ordena despesas dependendo de patrocínio prometidos, sem haver orçamento respectivo, como aconteceu no Natal em Natal 2010 e com base nas declarações do presidente Rodrigues Neto à imprensa no final de janeiro deste ano. Várias podem ser encontradas em sites jornalísticos da internet.

2. Afronta à Lei 8.666/93 quando publica um edital um dia antes de acabar o período de inscrições, como foi o Edital para o concurso de Rei Momo e Rainha do Carnaval, publicado dia 16.02.2011.

3. Distribuição de auxílios financeiros para o Carnaval 2011 através de critérios escusos, sem convocação da classe cultural através de edital, fazendo ouvidos moucos a recomendação do MP. Serão investidos quase 2 milhões de reais, conforme divulgado à imprensa, parte disso como auxílios a blocos, através de pessoas físicas, que não exige qualquer prestação de contas, não obedece aos princípio de impessoalidade, publicidade ou legalidade.

4. Descumprimento do Fundo de Incentivo à Cultura (FIC) instituído por Lei e constante na LOA como uma das duas UNIDADES ORÇAMENTÁRIAS da Funcarte. O edital do FIC 2010 somente foi pago semana passada, fevereiro, após denúncia do vice-presidente do Conselho Municipal de Cultura à impressa e muita pressão dos contemplados. A cerca disso, há também descumprimento do Art. 6º da Lei 5.323/2001, na qual dita que a renda com todos os serviços culturais da Funcarte devem ir para o Fundo de Incentivo à Cultura, mas a SEMPLA insiste em não conseguir uma forma de esses recursos irem para a conta única da Prefeitura e voltar para o Fundo de Incentivo à Cultura, conforme a Lei. Exemplo: Mensalidades da Escola de Ballet, bilheteria do Teatro, etc.

5. Total desvirtuamento da LOA. A Funcarte não cumpre os projetos-atividade definidos no PPA, bastando comparar o planejamento com relatório comprovando as metas alcançadas. Orçamento é em sua maioria absoluta destinado a eventos populistas com seus muitos auxílios-financeiros a pessoas físicas.

6. Total inércia na defesa do patrimônio histórico e cultural. A única ação de defesa do patrimônio histórico que a Funcarte se dispôs a fazer em 2010 foi custear parte do mapeamento imaterial cultural da Cidade em parceria com o SEBRAE/RN através de convênio “a ser realizado entre 15/06/2010 a 30/12/2010”, conforme publicação no DOM de 17 de setembro de 2010. No entanto, como até agora a Funcarte não cumpriu sua parte, o SEBRAE se viu obrigado a paralisar o projeto que já devia estar concluído, cancelando contrato com a empresa de pesquisa licitada. A Promotoria de Defesa do Meio Ambiente e Bens de Valor Artístico e Histórico, através da 41ª Promotoria de Justiça, já iniciou um diálogo com a Funcarte, intercedendo em prol de alguma ação, mas tem sido em vão.

7. O Conselho Municipal de Cultura não é consultado a cerca da utilização dos recursos municipais em cultura, conforme estabelecido na Lei 5.760 de 30 de outubro de 2006. O Conselho é órgão normativo, consultivo, deliberativo e o agente capaz para elaborar e controlar a Política Cultural do Município, mas o Executivo não o consulta, tão pouco apresenta a proposta orçamentária anual.

8. A Funcarte não dispõe de pessoal administrativo efetivo – um técnico sequer - e a SEGELM (Secretaria de Gestão de Pessoas e Logística) diz que não há como criar vagas. Mas curiosamente, ano passado, tal Secretaria elaborou minuta, a PGM avalizou e foi aprovada na Câmara Municipal de Natal a LEI Nº. 6.087, de 12 de abril de 2010, instituindo, ano passado mais de 50 vagas de Professor de Banda. Na verdade, esta lei é uma grande manobra para que vários instrumentistas (músicos) da Banda, que acumulam cargos indevidamente no Município (Banda Sinfônica) e no Estado (Orquestra Sinfônica), não sejam exonerados como resultado de Processo Administrativo. Quem faz concurso para MÚSICO, não pode se aposentar PROFESSOR DE BANDA, e o ex titular da SEGELM, futuro presidente da FUNCARTE, sabe disso. Mas, isso prova que, nessa gestão, quando a SEGELM quer, dá um jeito e até afronta a Constituição, fazendo provimento derivado. E, enquanto não se toma providências em estruturar o setor financeiro da FUNCARTE, fica a instituição com despesas de exercício anteriores na ordem de R$ 700 mil reais. A respeito desse assunto, ainda se deve citar que o atual regente da Banda, José Roberto Silva , acumula há anos três cargos públicos: músico no Estado, músico no Município de Natal e Presidente da Ordem dos Músicos, que é uma autarquia federal.

9. A Funcarte foi fundada em 1994 e, até hoje nunca fez concursos para um quadro administrativo efetivo. Há anos vem terceirizando funções, inclusive de área fim. Sua Escola Municipal de Teatro não tem um professor concursado, todos terceirizados sem seleção pública. A Escola Municipal de Ballet perdeu mais da metade dos seus professores por exonerações ou aposentadorias, e não faz concurso desde 2002, os cargos são, da mesma forma, terceirizados e escolhidos pelo próprio gestor da entidade.

Em suma, a Funcarte atualmente tornou a ilegalidade uma rotina. Gerencia mais de dez milhões de reais em recursos públicos por ano – incluindo convênios e patrocínios - sem seguir os ditames do direito público, o que vem causando grande dano ao setor cultural e ao patrimônio público de Natal. Ao considerarmos gravíssimo o ponto a que se chegou, nós artistas e produtores culturais, abaixo assinado, vimos solicitar análise e as medidas cabíveis.

Natal, 28 de fevereiro de 2011.

domingo, 27 de fevereiro de 2011

Entrevista - Pe Lu (Restart)

Se a cena musical independente cresce sob olhos e ouvidos dos internautas e passeiam por downloads a cada segundo, a indústria fonográfica ainda sobrevive por intermédio de bandas e artistas de forte apelo comercial. E quem diria: o rock virou comércio. A prova é o sucesso da banda teen Restart. A meninada faz show neste domingo no Teatro Riachuelo para um público "bonzinho". A expressão é usada por eles mesmos para classificar hits como Recomeçar e Fica comigo.

Apesar de sociólogos definirem a contemporaneidade como época confusa provocada por mudanças globais e estruturais na política ou no comportamento (também retratadas no cinema e nos quadrinhos), o guitarrista e principal compositor da banda, Pe Lu, contesta esse cenário e afirma, na entrevista a seguir concedida ao Diário de Natal, que a sua geração pós-rebeldia e pós-coca-cola, não sofreu "e que tem muito mais motivos pra sorrir do que se lamentar".

Por trás da tela da televisão ou dos jabás das rádios FMs, o rock "sujo" e contestador mantém a pegada e a contestação, com letras menos políticas e mais comportamentais. Seria a influência da época? Ou vivemos realmente imersos em um universo confluente ao positivismo, ao mundo colorido e próspero pregado pelo Restart e outras bandas emergentes do rock divulgado pela grande mídia? A seguir, segue a versão do Restart, que estreia o primeiro show em um teatro aqui em Natal.

Entrevista - Pe Lu (Restart)


Como se dá o processo de composição? Há um letrista principal e alguém com mais talento pra melodia?
Todas as musicas são minhas e do Koba. Criamos uma forma de trabalhar que nasceu naturalmente. No geral eu escrevo as letras e ele faz as melodias, depois nos juntamos e ajudamos um ao outro pra chegar no resultado esperado. Temos uma ligação criativa muito bacana.

O visual colorido surgiu espontaneamente ou vocês queriam criar moda?
Sempre gostamos de usar roupas coloridas, bonés, relógios. A ideia das calças surgiu na nossa primeira sessão de fotos, ficamos felizes com o resultado e resolvemos adotar pra nossa vida, pra nossa carreira. Acho que tem tudo a ver com a mensagem positiva que a banda quer passar e com nosso estado de espírito sempre alegre.

Sobretudo nos anos 80, o rock acompanhou o momento político brasileiro e projetou uma voz de contestação popular pela música. Falar de amor hoje é a atitude do rock no momento?
A geração dos anos 80 vinha abalada por uma série de mudanças políticas e comportamentais no país; foi uma geração que cresceu em meio a ditadura, falta de liberdade de expressão, era natural que a contestação e o envolvimento político fosse maior. Hoje em dia, somos uma geração que já nasceu livre, com acesso a milhares de informações, ensino, equilíbrio emocional. As pessoas estranham às vezes, mas somos uma geracão que não sofreu e que tem muito mais motivos pra sorrir do que se lamentar.

Também naquela época, o rock era movido pela pecha do sexo, drogas e rock'n'roll. O que rola na a turnê?
O lema 'sexo, drogas e rock' tinha um significado contestador que vinha com algum objetivo na época. Hoje em dia todo mundo sabe das consequências da falta de prevenção, do uso de drogas e afins, então, seria meio babaca da nossa parte querer usar essa mensagem. Somos da geração saúde, aprendemos a respeitar nossos limites e dentro deles curtir a vida como qualquer adolescente, como qualquer jovem. Essa é a mensagem que queremos passar para as pessoas.

Qual sua influência musical? Essas influências são levadas ao som da banda?
Temos diversas influências, eu e o Koba, por exemplo, estudamos quatro anos em conservatório, então ouvíamos blues, mpb, bossa nova, jazz. O Pe Lanza sempre foi apaixonado por Guns, Aerosmith, Bon Jovi. O Thominhas já tocou em banda de reggae, indie, hard rock. Junta tudo isso com influências de bandas como All Time Low, The Maine, Farewell, que nasce o som da Restart.

Quais as vantagens e desvantagens de se tocar rock em teatro?
Acho que nunca tivemos essa oportunidade ainda.

A rebeldia hoje é remar contra a maré e ser "bonzinho"?
Sempre achei que a maior rebeldia de todas é ser você mesmo, isso é o que nós somos.

* Matéria publicada hoje no Diário de Natal

Chega de "jeitinho" na administração pública

por Ilana Félix
em comentário neste blog

Nesse ponto discordo de você, Sérgio. Rodrigues Neto já foi tarde demais, se não organizou o carnaval antes foi por amadorismo dessa gestão como um todo, que deixa tudo para a última hora.

Quanto ao novo presidente, tenho uma ressalva, pois já não aguento mais os "jeitinhos" que dão quando se trata de Cultura. Foi ele, enquanto gestor da SEGELM quem encaminhou para Câmara dos Vereadores um projeto de lei totalmente ANTICONSTITUCIONAL para regularizar os músicos que acumulam cargos no Estado e no Município, a Lei Nº. 6.087, DE 12 de abril de 2010.

Os vereadores provavelmente não entederam que, ao aprovar o novo regimento da Banda Sinfônica, estavam modificando o cargo de instrumentista para PROFESSOR DE BANDA. Pura burla ao dispositivo que proibe acumulação de cargos na Constituição. Sem problemas, isso está no relatório que vou apresentar ao Fórum Potiguar, segunda que vem, e que será levado no mesmo dia à Promotoria de Patrimônio Público, com certeza, será alvo de uma ADIN.

Chega de jeitinho!!! O Conselho Municipal de Cultura pode contar agora com minha assessoria voluntária.

sábado, 26 de fevereiro de 2011

As rainhas do carnaval potiguar

No Diário de Natal
matéria de hoje

Voto de minerva desempata competição. E a princípio disputam a preferência do público na noite de hoje três das melhores intérpretes e compositoras da música popular potiguar. Khrystal, Simona Talma e Valéria Oliveira estarão acompanhados de músicos, auras ribeirinhas e históricas. É o reinado momesco exibindo suas rainhas de carnaval em prévias espalhadas entre a Ribeira e o Centro Histórico. Escolha sua opção, desempate a disputa e comece a folia.

aqui

Nova gestão da Funcarte

Peço perdão aos leitores do blog pela falta de pontuação adequada nos posts abaixo. Foi minha primeira experiência com atualiazação via celular. Não gosto. Sou ancestral, enfim. Quis manter o leitor atualizado apenas.

Pelo colhido hoje pelo Centro Histórico e Ribeira, a transferência de cargo de Rodrigues Neto para Roberto Lima dividiu opiniões. A maioria gostou. Mas produtores e artistas que esperam cachês estão desesperados.

Em 30 minutos em frente ao Bar de Nazeré, ouvi de duas pessoas o desespero pela dívida, coincidentemente, de R$ 22 mil. Quem trabalha em cargo comissionado não sabe de nada. E o pior: 400 artistas que dependem de uma assinatura do presidente para receber seus cachês, estão agora à mercê do novo gestor

Agora você, querido músico, amigo artista, colega produtor, imagine o novo gestor tomar conhecimento de todo o misancene da Casa para só depois, com toda a segurança jurídica, liberar toda a verba. A Control vai esperar pacas.

E mais: a prefeita exonerar seu cargo de "confiança" com apenas um ano e meio de serviço no meio da organização do carnaval é, no mínimo, uma indelicadeza com Rodrigues Neto. Por melhor ou pior gestor, ela podia esperar o fim dos festejos. Pelo menos para limpar a barra de seu acecla.

Rodrigues Neto deixa a Funcarte pela porta dos fundos, infelizmente. Muito mais por culpa da prefeita do que por incompetência. Um exemplo? A verba destinada inicialmente para o carnaval de R$ 2,2 milhões foi cortada em R$ 500 mil ontem e sem explicação. E pega a comissão do carnaval de calças curtas, aguentando protestos e reivindicações de quem esperava apoio.

Roberto Lima é um administrador, intelectual com conhecimento em música. Vamos esperar o que vem por aí. De cá, torcia por um gestor antenado nos editais, convênios e novas ou velhas legislações que tratam do setor. É a urgência dos tempos atuais.

A nova ou permanente equipe deve ser anunciada nos próximos dias. Tem muita gente competente ali na Funcarte. Uma assessoria técnica competente é urgente ali, para suprir o lugar de Ilana Félix. Aliás, é mais do que urgente um concurso público para suprir a demanda de funcionários na Funcarte.

Só nos resta esperar ou jogar pedras na Geni. Ou melhor: produzir! Quanto mais independência, melhor. Na sexta-feira de carnaval, sem apoio nenhum desse povo que paga cachê à Banda Grafith para animar prévia carnavalesca amanhã, a Samba e blocos parceiros vão botar pra quebrar, com show de Khrystal e tudo. Cagando, cantando e seguindo a canção. Sem medo de ser feliz ou da espera de cachê.

Vivemos novos tempos. De mídia livre, de iniciativa articulada e de arma mirada contra os muros do poder incompetente e injusto.

sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

Novo presidente é Roberto Lima

o novo presidente da funcarte sera roberto lima, ex gestor da segelm. pessoa honestaL mas um gestor publico. Vamos ver se da conta dosembaracos da funcarte. Ele foi meu professor de logica quando cursei filosofia. E pessoa excelente.

caiu o presidente da funcarte

o presidente da funcarte caiu. e no meio da organizacao do carnaval. carlos lima assume. ouvi que era professor de portugues, que era livreiro. nao sei qual a ligacao com os meandros da cultura. sem julgamento de merito do trabalho feito,que deixo pra depois, este e o terceiro presidente em quase dois anos, o que atesta o descontrole na administracao, ou avontade de acertar, coisa que nao aconteceu, por melhor boa vontade que, por ventura tenha existido. é, vamos esperar mais criterios, editais eobediencia a legislacao.

O brilho da beleza khrystalina

Vocês prestigiem esse primeiro de sete shows de Khrystal por aqui. A moça parte para uma turnê fora do Rio Grande Sem Sorte depois do carnaval!

Cia de Dança do TAM premiada em Berlim


A notícia vem com atraso, mas ainda é válida: a cia. de Dança do Teatro Alberto Maranhão conquistou o primeiro lugar em conjunto de Dança Moderna do Tanzolymp, o 8º Festival Internacional de Dança em Berlim, na Alemanha. O evento aconteceu entre 16 e 20 de fevereiro. O Tanzolymp reuniu 600 participantes de 30 países diferentes. Além da Cia de Dança do TAM, representaram o Brasil outras duas companhias de dança paulista e uma mineira.

A Cia do TAM recebeu convite através do diretor e coordenador do Tanzolymp, Oleksi Bessmertni. A oportunidade surgiu no mês de julho de 2010 durante o 18º Passo de Arte em Indaiatuba-SP. Na ocasião, o Oleksi era um dos jurados do Passo de Arte. E para Berlim embarcaram, além da diretora da Cia, Wanie Rose, os bailarinos Charles Damásio, Gabriela Borges, Gustavo Santos, Juarez Moniz, Lucas Cavalcante, Margoth Lima, Natália Negreiros e Tházio Menezes.

- Foto: WAGNER CARVALHO

Sábado quente e frio

Se tem sacanagem nesses eventos de sábado é colocar shows de Khrystal, Simona Talma e Valéria Oliveira no mesmo dia e em lugares diferentes. E agora, José, para onde? Eu vou à praia escutar as três no relax da minha rede. Mas aconselho uma das opções. Khrystal vai acompanhada de shows de Antônio de Pádua e Orquestra de Frevo no Solar Bela Vista. Simona, do parceiro Luiz Gadelha, Eugênio Bezerra e Du Souto, no Galpão 29. E Valéria, da aura da Ribeira, do Buraco da Catita e agora do Consulado Bar, onde estive ontem pra conhecer a cerveja, já que a casa eu pude detalhar cada metro quadrado semana passada. Percebam: o sábado é rico! Mas adoto a varanda singela. Espero um clima parnasiano de nuvens carregadas no refúgio de Santa Rita - clima ideal pra um livro, um aguardente com umbu e um sono dos justos.

quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

Zen Bar no Passo do Frevo

Convocação aos jornalistas

O Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Rio Grande do Norte convida todos a comparecer à primeira mediação da campanha salarial 2010/2011 na Procuradoria Regional do Trabalho, no dia 3 de março, às 9h.

Lembramos que esse é mais um recurso da entidade para tentar arrancar um aumento digno para a categoria, uma vez que durante as negociações na Superintendência Regional do Trabalho (antiga DRT) conseguimos apenas uma proposta de 5% por parte da patronal, o equivalente a R$ 45.

Os procuradores já nos avisaram que a força é dos trabalhadores, ou seja, a mobilização de toda a classe durante a mediação é de vital importância para o sucesso da nossa campanha. Precisamos fechar logo um acordo para pensar na campanha salarial 2011. Visto que o objetivo desta gestão sindical é a valorização profissional dos jornalistas do RN.

Informamos que qualquer que seja o acordo fechado será retroativo ao mês de setembro, contando também no décimo terceiro salário. O acumulado será pago em três parcelas, conforme o acordo já estabelecido na SRT, sem prejuízo para os profissionais.

Reforçamos o convite a todos a comparecer à negociação, e mostrar sua indignação pelo menor salário de jornalista do país.

Só a luta nos leva à vitória

Diretoria Sindjorn

Ferreira Gullar no Roda Viva

O escritor e poeta Ferreira Gullar estará no centro do Roda Viva na próxima segunda-feira (28/2), a partir das 22h, na TV Cultura, para recitar trechos de suas vivências de São Luiz do Maranhão, do exílio, do Rio de Janeiro, das artes plásticas que circundaram sua poesia, dos amigos artistas, dos que foram e dos que virão.

Dos bailes e balaios do dinheiro público

Até preferi deixar a discussão no espaço dos comentários. Mas talvez o assunto mereça mesmo esclarecimentos. Até porque esse Baile - que repito: tá muito massa! - não foi o primeiro nem será o último deste período momesco a receber apoio municipal. O Baile das Kengas já recebeu. E o Circuito da Ribeira, salvo engano na terça de carnaval, também irá receber. Esses são os que sei. Volto a repetir: acho justo que recebam, desde que iniciativas como a Samba também sejam contempladas, sobretudo por serem coletivas e gratuitas, como afirmei em meu comentário abaixo:

Comentário 1
Anônimo disse...
É esse cartaz mesmo. A prefeitura/Capitania das Artes apoia uma festa produzida por um Cargo Comissionado da Capitania, com um "ajudante" da Prefeita cantando (O famoso Pitbull da Prefeita). Tudo isso pago, mas pra SAMBA, que faz festas públicas (Sem cobrar ingresso) o capitão da Capitania das Artes ( O também famoso "Cagando e Andando") nega uma orquestra de frevo. É o que temos na Prefeitura e na Capitania das Artes. Temos que aguentar isso? Vamos "jogar pedra na Geni"
24 de fevereiro de 2011 13:25
Anônimo disse...

Comentário 2

Anônimo disse...
A prefeitura apoia diversos eventos blocos como o poetas, carecas em Pona Negra. Carnaval da Redinha, projeto de Zé Dias no Praia Shopping e tantos outros... esse seu comentário é injusto e preconceituoso. Eugênio é uma grande cantor e o era muito antes de ser cargo comissionado. Devemos separar as coisas. Alem do que o projeto dá espaco para cantores como Simona, luiz e banda dusouto, eu vou ver.... vc deveria ir tb.
24 de fevereiro de 2011 14:11

Comentário 3

Sérgio Vilar disse...
Soube agora há pouco que o patrocínio municipal para esse Baile foi de apenas R$ 1 mil. Acho justo, justíssimo, e até pouco. Sou fã das atrações, do promotor do show, da Ribeira, enfim. Não à toa publiquei aí o banner. Recebo aos montes todos os dias. Quando tenho tempo e acho bacana a ideia, publico. Agora, a pergunta que permanece no ar é: e porque não a Samba, com um evento coletivo e gratuito?
24 de fevereiro de 2011 14:34

Comentário 4

Anônimo disse...
O meu comentário é "injusto"? Dinheiro público numa festa particular. Meu dinheiro sendo "doado" pra pessoas fazerem festas e ganharem dinheiro? Isso é bem "injusto". Dinheiro público é público, não é privado. Não importa o valor. É dinheiro público. Assim também quero dinheiro da Capitania pra fazer minha festa e ganhar dinheiro pra brincar meu carnaval "baludo". Quanto ao cantor, ele é sim, cargo comissionado da prefeitura e a festa é produzida por um cargo comissionado da Capitania. Quanto a ir, não tenho dinheiro pra pagar a entrada, pois a Prefeitura cobrou meus impostos e o próprio foi colocado pra fazerem a festa e ainda cobrarem ingresso. Fui muito injustiçado pela prefeitura. Agora a SAMBA que fez festa de graça, nada. Uma orquestra, uma só. Pra isso não tem.

Baile da Ribeira

Fora do Eixo, mas dentro da lógica

No Diário de Natal
matéria de hoje

A palavra "teia" é hoje mais usada para classificar uma articulação organizada sob um mesmo objetivo do que o conjunto de fios de seda produzido pela aranha. Aliás, "rede" também mudou de conotação. E todas elas justificam os tempos dominados pelo universo virtual proporcionado pela internet. Um movimento mutante cresceu sob a genética dessa contemporaneidade. O Circuito Fora do Eixo captou as mudanças e problemas originados pelo novo mundo e criou soluções. São hoje os emergentes do cenário cultural, enquanto a indústria fonográfica afunda no conservadorismo de práticas de uma década atrás, já consideradas ancestrais.

aqui

quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

Eu te peço um verso

Nada melhor para um fim de noite...

Desconto do Fundo Municipal foi inesperado

Recebi do produtor cultural Marcelo Veni a mesma surpresa com o desconto de 20% de imposto de renda na verba liberada pelo Fundo Municipal de cultura, que Carlos Gurgel. Mais uma trapalhada da Funcarte, até compreendida pela mesma justificativa dada pelo coordenador do programa, Edson Soares: a da primeira experiência com a burocracia do Fundo.

Vejam o que Veni escreveu no twitter: @marceloveni Com esse desconto o projeto já realizado #forronasfeiras vai ter q arrumar um outro Fundo p cobrir o agora prejuízo de R$ 2.492,00. Em tempo @s_vilar do projeto #forronasfeiras não foi solicitado qlqr tipo de deligência em nenhum momento.

7 filmes perturbadores

por Maria Gomes
Na Superinteressante

Tem gente que por mais a gente diga para não ver algum filme porque é tenso, “dá nervoso”, mais fica com vontade de ver. Alguns valem mesmo a pena, outros são puro asco e entraram para a história do cinema simplesmente por causar repulsa e nojo. Veja abaixo sete filmes perturbadores.

Irreversível (2002 - Gaspar Noé)

Contada de trás para frente, a história do filme é bem simples. Dois amigos buscam um cara que estuprou a namorada de um deles. Mas eis que se chega ao mote da ação, o estupro em si. São cerca de nove minutos de violência e asco, o suficiente para muita gente deixar a sala do cinema quando o filme estava em cartaz. Aos que aguentaram, um brinde do diretor pela força, uma cena de briga que acaba com uma cabeça esfacelada por um extintor de incêndio usado como porrete.

Pink Flamingos (1972 – John Waters)
Representante da escatologia nesta lista, o filme é um ícone no mundo underground. O roteiro narra uma espécie de competição pelo título de pessoa mais repugnantes do mundo, posto que Divine, uma drag-queen, e sua família têm a honra manter. A disputa é quase só uma desculpa para cenas bizarras, como de sexo com galinha (o bicho mesmo), entre mãe e filho, gente comendo fezes, close em ânus e por ai vai. Repugnância do começo ao fim.

Holocausto Canibal (1980 – Ruggero Deodato)
Com cenas de torturas, mutilações, empalamento (um cabo entra pela vagina e sai pela boca), castração e morte de animais, ele chegou a ser proibido em alguns países. No estilo filme dentro do filme, conta o desaparecimento de quatro documentaristas que sumiram após irem para a Amazônia. Um professor vai investigar o caso e encontra uma gravação que mostra como foram mortos. A partir daí, o que vemos são cenas de câmera tremida “filmadas” pelos documentaristas, no estilo Bruxa de Blair, na tribo canibal onde foram parar. Muita gente ainda acreditou que os atores tinham sido realmente mortos no filme. Não foram, mas alguns animais sim.

Saló ou 120 dias de Sodoma (1975 – Pier Paolo Pasolini)
O mal-estar causado por Saló na década de 70 fez o filme ser banido de diversos países. Baseado em histórias do Marquês de Sade, o filme narra 120 dias de torturas sexuais de um grupo de jovens sequestrado por fascistas. São duas horas de masoquismo e sodomia e mutilações, genitais queimados e outras insanidades.

O Iluminado (1980 – Stanley Kubrick)

Considerado um clássico do terror, o filme certamente já foi responsável por muitas unhas roídas nos últimos 30 anos. A história começa leve, quando um homem é contratado para ser vigia de um hotel durante o inverno, quando fica vazio. Ele leva sua família para lá e, no isolamento e no ambiente sombrio, começa a manifestar problemas psiquiátricos e comportamento agressivo. Nos corredores desertos do prédio, o filho tem visões de fatos ocorridos ali. A aparição de duas gêmeas num dos corredores, por exemplo, é uma das cenas mais aterrorizantes. O tempo inteiro é espera-se uma tragédia e a música ajuda, e muito.

Réquiem para um sonho (2000 – Darren Aronofsky)
Do mesmo diretor de “Cisne Negro”, o filme mostra a destruição progressiva de viciados, nem todos em drogas propriamente. Uma das personagens, por exemplo, é viciada em TV (e pílulas com anfetamina para emagrecer). No início, todos têm sonhos, que desmoronam à medida que os vícios e a degradação tomam conta. A angústia só aumenta com a edição e a trilha sonora, que ditam o clima quando a ideia é mostrar os efeitos psicológico e físico das drogas. É do tipo de filme que a gente torce para acabar logo, nem que a solução seja matar os personagens.

Monstros (1932 – Tod Browning)

Não, não é o desenho. Este aqui causou tanta polêmica quando foi lançado que praticamente acabou com a carreira de seu diretor. Atores anões, com deformações físicas e gêmeos siameses representam personagens de um circo grotesco que chama a atenção nas cidades onde passa por vender “aberrações”. A trapezista, uma das poucas sem deficiência física, aproveita-se de um anão apaixonado por ela interessada na riqueza dele. Após se casarem, ela tenta a todo custo matá-lo para ficar com a herança. Mas o plano é descoberto pelos demais “monstros”, que se unem contra ela.

Do blogueiro: Acho que o Anticristo, de Lars Von Trier, cai bem aí na lista. Assisti três desses sete e discordo de Réquiem Para um Sonho. Mas lista é lista. Agora, Saló e O Iluminado é realmente angustiante.

Caetano: se Luan Santana não é MPB, então o que é MPB?

Em entrevista exclusiva ao Terra, o cantor e compositor Caetano Veloso polemiza quando o assunto é musica e fala sobre uma eventual disputa entre MPB e Sertanejo Universitário, sem deixar de criticar os "rotuladores da imprensa".

Na conversa com o jornalista Renato Beolchi, que foi concedida nesta semana por ocasião do lançamento do DVD Caetano Zii e Zie, o cantor baiano aborda vários assuntos, entre eles sobre sua relação com a internet e a eleição da presidente Dilma Rousseff. Veja abaixo algumas frases do cantor ou leia AQUI a entrevista na íntegra:

"Eu não consigo separar MPB de sertanejo universitário ou secundarista, porque MPB é música popular brasileira, eu não sei por que o sertanejo não estaria incluído aí. É um critério meio difícil de justificar. Eu entendo vagamente quando uma pessoa está conversando comigo, e diz: 'eu achei muito MPB'".

"Bem. Eu, não votei nela. Votei em Marina (Silva, do PV); e quando ficou ela (Dilma) e Serra eu não votei em nenhum dos dois".

"Ninguém tem nada que se meter na vida íntima, espiritual e religiosa dos meus filhos. Isso é burrice. É burrice." (sobre a entrevista concedida à Folha de S.Paulo que teve uma reação negativa da opinião pública)

Funcarte libera verba para Fundo de Cultura

Release

Dezessete grupos culturais de Natal, das mais diferentes áreas artísticas, estão recebendo hoje a verba do Fundo Municipal de Cultura 2010. A Fundação Cultural Capitania das Artes (Funcarte) já depositou na conta dos produtores culturais a quantia de 200 mil reais - dividida entre os projetos selecionados.

O diretor do Departamento de Atividades Culturais da Funcarte, Edson Soares, admite que existiu o atraso na liberação do patrocínio e compreende a angústia dos produtores contemplados. Mas justifica:

"Essa foi a nossa primeira experiência com o Fundo de Cultura. Tanto nós quanto os produtores precisamos aprender algumas regras. Um dos motivos do atraso foi que alguns cometeram falhas ao elaborar os projetos. Para não prejudicar ninguém, o Conselho de Cultura determinou uma diligência para que os produtores corrigissem os erros, que eram simples, como a ausência de impostos no orçamento".

Mas segundo Edson, os problemas foram resolvidos sem prejuízo aos inscritos. E agora, finalmente, os dezessete projetos selecionados estão com o dinheiro na conta.

SOBRE O FUNDO DE CULTURA
O FIC foi criado pela Lei 4.838 de 9 de julho de 1997, mas só foi regulamentado em maio de 2009. O Objetivo para FIC é fomentar a produção de bens culturais públicos ou a viabilização de projetos culturais de interesses coletivos no âmbito municipal.

As inscrições dos projetos para o Fundo de Cultura 2011 serão abertas em julho. Com uma novidade: a verba será aumentada e poderá chegar a 400 mil.

PROJETOS APROVADOS

· A ponte sem fim, de Rui Lopes da Silva (Literatura)
· Debacoabete, de Marcelo dos Santos Chaves (Artes Cênicas)
· João Redondo "Fala lá que escuto", de Genildo Mateus (Patrimônio Imaterial)
· O circo do palhaço Facilita, proposto por Érica Conceição Silva Lima (Audiovisual)
· "Nísia Floresta Vida e Obras", de Marieta Izabel Martins Maia (Audiovisual)
· Projeto Palco Gira Dança, da Associação GIRA DANÇA (Fomento à Produção de
Novas Linguagens Artísticas)
· Índio Poti, Um Herói da Patria Brasileira, de Luiz Elson Dantas (Patrimônio
Imaterial)
· O Rio Grande do Norte na Rota de Cabral, Luiz Antonio Dias Borges (Audio-Visual)
· As Pelejas de Mateus, Birico e Catirina; porposto por Clenor Rabelo Ribeiro Jr. (Artes Cênicas)
· Coletânea Literária SPVA/RN Volume 06, da Sociedade dos Poetas vivos e AFINS/RN (Literatura)
· RESPONDA!, proposto por Halane Batista da Silva Rodrigues (Artes Cênicas)
· Danças Circulares na Casa das Artes de Ponta Negra, proposto por Maria do
Socorro Oliveira Cabral (Artes Cênicas)
· Arquivos de Dança da Cidade, de Maria de Fátima Alves de Sena (Literatura)
· Efeito Chico, proposto por Cinatal Film Studium Ltda ME (Audio-Visual)
· Forró das Feiras, proposto por Leonardo Pinheiro Neto (Música)
· Yujô Fest II Cultura Pop Japonesa, proposto por José Daniel Garcia (Performance)
· Dramática Gramática, proposto por Carlos Gurgel (Performance)

Do blogueiro: Alguns contemplados estranharam a redução do valor na conta. A explicação é o desconto de 20% do imposto de renda. Ao projeto de Carlos Gurgel, por exemplo, foi prometido R$ 10,1 mil e foi depositado R$ 8 mil.

Funcarte rejeita patrocínio de uma orquestra à Samba

por Augusto Lula
enviado por email

A SAMBA (Sociedade dos Amigos do Beco da Lama e Adjacências) enviou ofício ä Capitania das Artes, solicitando diversos itens para realização do II Baile à Fantasia do Centro Histórico, nos mesmos moldes que o fez ano passado.

Conforme, o tempo foi passando e sem que a FUNCARTE definisse os apoios, a SAMBA angariou parcerias. Restando a Prefeitura do Natal, através da Capitania, a cessão de uma orquestra de frevo. Apesar de constar no ofício vários outros itens, foi explicado a senhora Cida Campelo, uma das "Coordenadoras do Carnaval", que a orquestra era a nossa única reivindicação. Como resposta, a citada senhora nos disse o seguinte: "Que se fosse só uma orquestra, isso teria. E, que, por favor, deixássemos de ser chatos e não aperriasse mais ela não". Mas, ressaltou que a palavra final era do presidente Rodrigues Neto.

Na terça-feira (ontem) após muita espera, solicitamos uma resposta ao ofício encaminhado (em 09.02.2011). Primeiro o presidente mandou dizer pela secretária que a resposta era não. Então, pedimos que desse o despacho em ofício, ele o fez nos seguintes termos: "em vista das dificuldades e com a implantação dos polos de carnaval ficamos impossibilitados de apoios e ajudas individualizadas. Atenciosamente. Rodrigues Neto".

Pronto. Só faltava o capitão da Capitania desconhecer, entre outras coisas que a SAMBA - Sociedade dos Amigos do Beco da Lama e Adjacências, não é uma entidade individual. A SAMBA é uma entidade de direito privado sem fins lucrativos, fundada em 1993. E tem mais, a SAMBA é uma associação de utilidade pública estadual e municipal e realiza eventos para tentar revitalizar o Centro Histórico de nossa cidade.

Individual é o bloco que um ex-deputado tá inventando na Redinha e que tem o apoio da Capitania.

A FUNCARTE que explique porque a União Metropolitana das Escolas de Samba, vai receber a verba de ajuda de custos para as escolas de samba, tribos de índios e afins...e quais são as condições para o repasse. Com a palavra o Ministério Público.

Diferentemente de outros eventos patrocinados pela FUNCARTE, o Baile à Fantasia do Centro Histórico é de graça, assim como todos os eventos realizado pela SAMBA. Rodrigues Neto não conhece, porque não circula.

Ele prefere acabar com os polos de Ponta Negra, Alecrim, Centro Histórico e dizer que não existe. Não existe, porque ele esta conseguindo enfraquecer o que precisava ser fortalecido.

Do blogueiro: Lula, também liguei agora pra Funcarte. Desta vez a assessoria se limitou a informar o esperado: a Funcarte está sem grana e, infelizmente, limitada a patrocinar apenas as atrações dos pólos culturais, segundo eles, de cunho "mais coletivo". Uma lástima.

Balé municipal parado por roubo de caixa d'água

Essa semana fui surpreendido com a denúncia via twitter de que o Balé Municipal estava parado por falta de pagamento de água no prédio da sede, na Ribeira. Fiquei indignado, retuitei a mensagem e só hoje liguei pra Funcarte para colher uma resposta. Segundo a assessoria do órgão, roubaram a bomba que abastece o prédio da Funcarte. Ontem ainda houve aula, mas de fato foi suspenso hoje por falta de condições. Embora o setor administrativo ainda cumpra expediente, as aulas envolvem muitos adolescentes e consequente uso do banheiro, o que inviabiliza a permanência. O problema será resolvido em breve, segundo a assessoria.

Ainda ontem eu comentava algo a respeito para universitários de Comunicação Social da UFRN. Esse "jornalismo" praticado nas redes sociais é perigoso e há que se desconfiar das afirmações. Denúncias vêm aos montes apenas por uma versão, que logo ganha mídia, coro e consequências danosas, muitas vezes. Até citei o caso da carta de Ilana Félix publicada em boa parte dos blogs da cidade, sem a versão do acusado. Disse ainda da inviabilidade de se procurar o outro lado da questão quando um blog como este não recebe um real para gasto com telefone, por exemplo. Então, o melhor para o leitor é desconfiar das informações, sempre!

Biblioteca Câmara Cascudo abandonada

por Diana
em comentário neste blog

Visitei a biblioteca (Câmara Cascudo) ontem, é praticamente inutilizada. Catálogo da pré-história (até alguns funcionários acham absurdo), acervo não disponível a consulta do público etc. Mas dá pra ver que o espaço poderia muito bem abrigar novos projetos e passar por algumas mudanças estruturais. Se continuar do jeito que está, vai continuar sendo um depósito de livros que ninguém lê.

Indústria cultural e manutenção do poder

por Rafael Cordeiro Silva
na Revista Cult

O poder sobre a alma“A tirania deixa o corpo livre e vai direto à alma.” A frase é de Alexis de Tocqueville (1805-1859) e faz parte de sua principal obra – A Democracia na América –, publicada em duas partes entre os anos de 1835 e 1840. Na obra em questão, o pensador francês viu na busca incessante pela igualdade, característica dos federalistas norte-americanos, uma perigosa tendência para a uniformização das pessoas, para a supressão da singularidade de cada um. Embora inspirada nos ideais iluministas, a igualdade de condições entre todos os homens foi vista com desconfiança e como forte ameaça à liberdade individual. Liberdade e igualdade, dois grandes ícones da Revolução Francesa, não foram concebidos como valores complementares por Tocqueville. Mais de um século depois, os filósofos alemães Theodor Adorno e Max Horkheimer retomam aquela frase em um contexto inteiramente outro.

aqui

Bravos indômitos

por Nelson Hoineff
no site Críticos

Joel e Ethan Coen são cineastas diferentes. A invenção é o seu gênero. Os irmãos Coen são responsáveis por muito do que de mais original o cinema foi capaz de produzir nos últimos 25 anos. Nesse período, fizeram cerca de 20 filmes, metade dos quais absolutamente revolucionários. Refiro-me a títulos como Arizona Nunca Mais, Barton Fink, Na Roda da Fortuna, Fargo, O Grande Lebowsky, Queime Depois de Ler, Um Homem Sério e por aí afora. A que gênero tais filmes pertencem? Ao gênero Irmãos Coen.

aqui

O beatle George

por Luiz Rebinski Junior
no Digestivo Cultural

George Harrison fez o mais fantástico - e genial - álbum-solo gravado por um beatle. All things must pass é daqueles álbuns apaixonantes.

aqui

Isaura Rosado negocia com MinC restauração da Biblioteca Câmara Cascudo

Release

A Secretária da Cultura, Isaura Rosado, foi recebida ontem à tarde pelo poeta Antônio Miranda, Diretor da Biblioteca Nacional de Brasília, para visita às modernas instalações de vídeo-conferência e ilha de edição que abrigam o trabalho concomitante de 10 produtores, com salas abertas ao público e 51 terminais de computadores conectados à internet, galerias, salas de aula e salões de leitura individuais e em grupo.

A Biblioteca Nacional de Brasília é considerada uma das mais modernas do País. Entre outros espaços, dispõe de Hall de Exposições, poltronas multimídia, Praça da Língua Portuguesa, Espaço Infantil, Corredor Digital, Auditório e um Centro de Criação Digital.

A secretária Isaura Rosado visitou todo o complexo da Biblioteca Nacional de Brasília para conhecer sua estrutura e funcionamento, pois negocia com o Ministério da Cultura (Minc), a restauração da Biblioteca Câmara Cascudo.

terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

Camarones inicia turnê pelo Nordeste

No Diário de Natal
matéria de hoje

O Camarones Orquestra Guitarrística inicia hoje mais um passo para uma futura carreira internacional. A turnê em sete cidades nordestinas junto com os cariocas do Canastra é só um "esquente" para projetos mais ambiciosos. No fim de março, o quinteto potiguar percorrerá a América Latina e lançará CD na Argentina. E para quem pensa em um tapete vermelho estendido exclusivamente porque o som das guitarras potiguares é bem aceito, se engana. A conquista das portas abertas fora do Rio Grande do Norte ou do Brasil é fruto de intercâmbio e organização de anos de trabalho.

aqui

Quando morrem os mundos

por Pablo Capistrano
na Diginet

Depois, quando Jácio comprou o sebo de meu tio continuei frequentando o lugar. Foi ali que comprei minha primeira edição de A Metamorfose de Franz Kafka. Ali encontrei boa parte da coleção de literatura beat que ainda guardo na estante. Foi naquele sebo que eu conheci Shopenhauer, Nietzsche, Willian Blake, Arthur Rimbaud.

De um modo ou de outro, uma parte muito substancial do que eu sou devo ao esforço de sebistas como Jácio, Vera, Abimael Silva e, como não poderia deixar de ser, meu tio Benjamim. Não teria a mesma alma se não houvessem esses sebos todos, vendendo livros que já pertenceram a outros, socializando a preços baixos a herança literária da humanidade.

aqui

Orçamento da Funcarte

Eis um resumo de prioridades do orçamento da Funcarte. Os cálculos foram baseados no orçamento de 2010, já que a Lei Orçamentária Anual ainda não foi publicada. Esse "planejamento" foi repassado à Sempla. O valor da folha de pagamento, mais os gastos de manutenção, são passados pela Segelm. O da ATIVA é só pegar a publicaçao do extrato do convênio.

Orçamento 2010

- Folha de pessoal + Manutenção (água, luz, telefone) = R$ 2,5 mil (27,78%)
- Ativa (terceirizados, asg, motoristas, assist. administrativos, apadrinhados políticos) = R$ 1,1 mil (12,22%)
- Carnaval = R$ 2,2 mil (24,44%)
- Natal = R$ 1 mil (11,11%)
- São João = R$ 600 (6,67%)
- Outros eventos (cachês de artistas em eventos, dia do estudante, dia da mulher, dia da criança, etc) = R$ 1,6 mil (17,78%)

TOTAL ORÇAMENTO 2010 = R$ 9 mil (100%)

O santo relutante

por Gian Danton
no Digestivo Cultural

Donald Spoto escreveu Francisco de Assis, o santo relutante, recentemente reeditado em uma edição popular da coleção Ponto de Leitura. É uma grande chance de conhecer o lado humano de um homem cuja vida se mistura com lendas baseadas em "ideias românticas sobre a era dos castelos, cavaleiros andantes, damas medievais e honra cavalheiresca, elementos mais adequados às páginas dos manuscritos com iluminuras ou a filmes de Hollywood, mas que não correspondem à vida real.

Do blogueiro: Li esse livro. É muito bom!

aqui

Várias evacuações amolecidas por dia

por Mário Ivo

E, em algum ponto da minha memória desponta uma ou mais de uma cena de filme onde o sujeito chega a arrancar pele, carne, músculo, alucinado. Terrível. Antes melhor seria uma barata no quarto, como em Josef K, que sifudeu porque a barata era ele mesmo.

aqui

Natal está entregue à barbárie

por Paulo Jorge Dumaresq
em Nariz de Defunto

O burgo de Luís da Câmara Cascudo virou uma terra de ninguém no quesito comportamento em sala de cinema. Hoje (21.02), na sessão única do mediano filme francês "Não Minha Filha, Você Não Irá Dançar" (Non Ma Fille, Tu N'iras Pas Danser, 2009), adolescentes ignorantes, incultos e débeis mentais bagunçaram o coreto. Tive que chamar um colegial babaca de imbecil, com o filme em andamento. Cumpre informar que os tais colegiais eram de escolas da rede privada de ensino. Portanto, supostamente, com acesso à (má) educação. Além da rafameia juvenil, um velho proferiu chistes e atendeu o celular falando alto durante a exibição da fita. Não é a primeira vez que o ancião clownesco, ao estilo Ariano Suassuna, se comporta como um palhaço. Para completar a barbárie, o filme foi interrompido perto do fim. Mais uma vez o Cinemark Natal deu provas de sua incompetência e desrespeito para com o público.

aqui

segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

Programação de março completa no TAM

02 Quarta - R$ 20 (R$ 10) - 20h
Espetáculo de Dança “LA FILLE MAL GARDEN“
Grupo Clássico da EDTAM

03 Quinta - R$ 20 (R$ 10) - 15h e 20h
Espetáculo de Dança “LA FILLE MAL GARDEN“
Grupo Clássico da EDTAM

11 e 12 Sexta e Sábado - R$ 50 (R$ 25) - 21h
Carlos Simões em: “OS HOMENS QUEREM CASAR AS MULHERES QUEREM SEXO”
Direção Marco Marcondes

13 Domingo - R$ 30 (R$ 15) - 17h
Infantil “OS SALTIMBANCOS” – Os Quatro Amigos
Cia Teatral Monicreques – Adaptação e Direção: Clenor Junior - RN

13 Domingo - R$ 50 (R$ 25) - 20h
Carlos Simões em: “OS HOMENS QUEREM CASAR AS MULHERES QUEREM SEXO”
Direção Marco Marcondes

15 a 17 Terça à Quinta - 9h e 14h30
Projeto Escola - Espetáculo “O MAGICO DE INOX” Grupo TEART DE TEATRO
Direção: Barbara Cristina

17 Quinta - R$ 20 (R$ 10) - 19h
Comédia “ESQUIZOFRENIA DIDATICA”
Texto: Luiz Carlos Reis

18 e 19 Sexta e Sábado - R$ 50 (R$ 25) - 21h
NANY PEOPLE ENTÃO... DEU NO QUE DEU!
Toda a irreverência de Nany nesta Stand up Comedy

20 Domingo - R$ 60 (R$ 30) - 18h e 20h
STAND UP PIRANDO
Apresenta Show de Humor - FABIO RABIN

22 Terça - 18h
Show Musical com Valeria Oliveira e Convidados
Comemoração aos 10 Anos da Radio Universitária 88 FM

23 Quarta - 9h e 14h30
Projeto Escola
Espetáculo - “CHAPEUZINHO VERMELHO”
Danúbio Azul Cia. Teatral - Texto e Direção: Gabriel Brandão

24 Quinta - Senha convite - 20h
Aniversario do Teatro Alberto Maranhão
Apresentação do Coral Canto do Povo e Cia. de Dança do Teatro Alberto Maranhão

25 Sexta R$ 20 (R$ 10) - 20h30
Show Musical com Kristal, Ze Renato e Renato Braz

26 Sabado - R$ 30 (R$ 15) - 21h
Espetáculo Musical em Homenagem a DOLORES DURAN
Baseado no Espetáculo Brasileiro Profissão Esperança
Isaque Galvão e Claudia Magalhães

27 Domingo - R$ 30 (R$ 15) - 17h
Espetáculo Infantil “ALICE NO PAIS DAS MARAVILHAS”
Cia. Argonauto de Teatro – PB. Direção: Tony Silva

30 Quarta - 14h30
Projeto Escola
Espetáculo “PINTANDO A MATA”
Grupo de Teatro Quironomia

31 Quinta - 9h e 15h
Projeto Escola
Espetáculo “O PEQUENO POETA”
Grupo TEART DE TEATRO
Direção: Barbara Cristina

31 Quinta - 17h30
Café com Arte e Lançamento do Plano EDITORIAL da Coleção Cultura Potiguar 2011 com 30 Títulos e 10 Cordéis

OBS: Confirme os espetáculos pelo telefone: 3222-3669. A programação está sujeita a alterações.

Monstra competitiva para cantores e compositores

Estão abertas até o final de março as inscrições para o CALDAS FEST 2011, que acontecerá em agosto em Barbalha, cidade localizada na região do Cariri, no Ceará. A Mostra Competitiva é aberta a cantores e compositores de todo o Brasil. Dentre os inscritos, 20 serão selecionados por uma comissão julgadora e durante o festival vão defender uma canção inédita. Serão premiados os três primeiros colocados. Haverá premiação ainda para melhor letra, melhor intérprete e uma música de aclamação popular. O resultado da seleção será divulgado até o dia 30 de abril.

Tendo como tema A Produção da Música Independente e as Transformações do Mercado Fonográfico, o CALDAS FEST, em sua primeira edição, tem a missão de reunir, em um único espaço, músicos consagrados e novos talentos, e visa contribuir para o fortalecimento do mercado musical no Ceará. A realização é da J A Lima Produções em parceria com a Prefeitura Municipal de Barbalha, por meio da Secretaria de Cultura e Turismo.

Com acesso gratuito, o Festival acontecerá no Balneário Termas do Caldas (www.balneariodocaldas.com.br), no distrito de Caldas, localizado na serra, a 20Km da sede do município de Barbalha, que fica próximo a Juazeiro do Norte (menos de 10Km) e a 525Km da capital Fortaleza. O balneário é uma das raras estâncias termo minerais do Nordeste. Ocupa uma área de 4.500ha e conta com fontes e piscinas naturais com temperatura de 26°C, águas minerais hipotermais consideradas as mais leves do país, e tem ainda piscinas, quadras, restaurantes e hotel.

Para se inscrever na Mostra Competitiva o interessado deve preencher a ficha que se encontra disponível no site www.jalimaproducoes.com.br e entregar na sede da J.A. Lima Produções, Rua João Cordeiro, 2391 A - Altos - Joaquim Távora - Fortaleza-Ceará CEP: 60.110-3012 ou na Secretaria da Cultura de Barbalha Rua Pinto Madeira, 149, Centro - CEP: 63180-000 - Barbalha-CE. As inscrições feitas pelo Correio deverão ser enviadas obrigatoriamente por SEDEX. O regulamento está disponível no site da empresa realizadora do festival. Informações: (85) 3251.1105

Fórum`Potiguar de Cultura

O Fórum Potiguar de Cultura será realizado no Auditório do IFRN da Cidade Alta (av. Rio Branco) em 28 de fevereiro, entre 9h e 17h. Eis a convocatória enviada pela organização, formada por Esso Alencar, Aluízio Matias, Tatiane Fernandes, Claudio Rocha e Regina Cunha.

Convocatória Geral

Este é o momento para nos reunirmos, debatermos e propormos soluções propositivas, com o objetivo de ampliar a participação dos integrantes do setor cultural potiguar nas decisões das políticas públicas para a cultura no Estado do Rio Grande do Norte. Este é momento para que você que é produtor cultural, cineasta, músico, bailarino, coreógrafo, ator, gestor, diretor, designer, coordenador de ponto de cultura, professor, jornalista, artista, pintor, desenhista, enfim, todo aquele que contribui para a cultura potiguar deve atender à esta Convocação Geral do Forum Potiguar de Cultura.

É importante que cada um contribua de forma efetiva para o crescimento do setor cultural potiguar, inclusive analisando os discursos do novo Governo com relação à cultura, bem como o processo de criação da nova Secretaria de Cultura. Durante o encontro vamos oportunizar um amplo debate sobre os novos rumos da cultura, discutindo inclusive o Plano Nacional de Cultura. É importante analisar a relevância, bem como aprofundar o entendimento lógico destes novos conceitos. É preciso que tenhamos nosso Plano Estadual de Cultura. Temos que exigir que seja marcada e que realmente se realize a nossa Conferência Estadual de Cultura, bem como a Conferência Municipal de Cultura. Os agentes culturais potiguares precisam estar inseridos cada vez mais nesse novo perfil, para o qual avança a cadeia produtiva da economia criativa.

Este encontro conta com o apoio de várias entidades que congregam diversos profissionais da área cultural do Rio Grande do Norte. Cada prática social cultural terá a oportunidade para expor suas principais diretrizes. Qualquer que seja sua expressão cultural participe e traga sua bandeira. Venha colaborar com a versão final do documento do Forum Potiguar de Cultura, que junto com os pontos extraídos da última Conferência Estadual de Cultura, irá oferecer subsídios para que o Estado e a Sociedade Potiguar, num exercício de cidadania, caminhem juntos promovendo ações culturais criativas; abrindo novas frentes para a classe trabalhadora da cultura; injetando recursos que tornem viáveis projetos inovadores; e principalmente, resgatando a verdadeira essência da cultura potiguar: a que agrega conhecimentos, recupera a memória e os estudos, e nos faz refletir sobre nossa verdadeira identidade. Até lá!

OBS.: Cada segmento deverá levar para a plenária das linguagens temáticas entre 3 e 5 diretrizes que representem as necessidades para a construção de uma política cultural para o setor específico. Caso ainda não tenham discutido entre si os pontos a serem apresentados, o fórum vai abrir um período com GTs de cada área para que haja essa definição.

ESSO (84) 9606 1926

Isaura Rosado se encontra com Ana de Hollanda

A secretária extraordinária da Cultura, Isaura Rosadinha acompanha amanhã a governadora Rosalba Ciarlini, o ministro da Previdência Garibaldi, e o insistente deputado federal Henriquinho Alves, às 11h, na audiência com ministra da Cultura, Ana de Hollanda. Na pauta, reivindicações do Errene para um amplo projeto de apoio à cultura popular. Na oportunidade serão abordados assuntos referentes às parcerias entre o MinC e a FJA, como os convênios no montante de R$ 7 milhões e 700 mil que o governo anterior solicitou arquivamento e conseqüente cancelamento. A audiência estava marcada para hoje, quando a Rosalba participa, em Aracaju, da reunião dos governadores com a presidenta Dilma Rousseff. Por solicitação da governadora a reunião foi transferida, possibilitando a participação de Isaura. Muito justo.

Superação que vem com a dança

No Diário de Natal
matéria de ontem

A bailarina potiguar Mickaella Dantas fará parte das atividades culturais dos Jogos Olímpicos de Londres em 2012. O convite partiu da companhia londrina de dança contemporânea composta por bailarinos com e sem deficiência, chamada Candoco Dance Company - uma das mais conceituadas do mundo no campo da dança contemporânea inclusiva. A experiência vivida por Mickaella é inédita para uma artista do Rio Grande do Norte. Um sonho idealizado por muitos desde o surgimento do projeto Roda Viva e da oportunidade de pessoas com deficiências ultrapassarem limites.

aqui

Eleitos o Rei e a Rainha do carnaval 2011


Release

O Carnaval 2011 promovido pela Prefeitura Municipal de Natal tem os seus representantes definidos. A eleição ocorreu no último sábado, durante o Baile da Saudade. Os candidatos eleitos a Rei, Francisco Assis das Chagas, e a rainha do carnaval, Danielle Alcaniz Carvalho, mostraram muita simpatia e samba no pé conquistando os jurados e o público que lotou o Palácio da Cultura.

Simpatia e espírito carnavalesco deram o tom da noite. Para o posto de Rei, foram cinco concorrentes. As sete candidatas a rainha mostraram muito samba no pé para o corpo de jurados formado por bailarinos, dançarinos e coreógrafos. Na ocasião também foi eleita a Rainha do Frevo. O Baile da Saudade foi embalado ao som da banda Nova Sensação, Banda de Frevo e do cantor Isaque Galvão.

Os eleitos irão receber a chave da Cidade das Mãos da Prefeita Micarla de Sousa no próximo dia 3, por ocasião da abertura oficial dos festejos carnavalescos da capital e serão os representantes da folia da cidade durante o período momesco.

domingo, 20 de fevereiro de 2011

Entrevista - Ilana Félix

Ela balançou as paredes da Capitania das Artes ao publicar uma carta aberta em alguns dos principais blogs da cidade se dizendo vítima de assédio moral provocado pelo presidente da instituição. Rodrigues Neto precisou explicar o conteúdo da carta à prefeita Micarla de Sousa, conforme relatou em entrevista publicada neste Diário de Natal, semana passada. Na entrevista a seguir com a autora da carta, há uma mostra do desgaste administrativo sofrido por Rodrigues Neto, vítima de críticas provocadas, principalmente, pela falta de estrutura da instituição do qual também é vítima, conforme relata a própria Ilana Félix na entrevista a seguir:

Entrevista – Ilana Félix

Em carta aberta divulgada na blogosfera você explica a causa-fim de sua saída da Funcarte: acúmulo de função e consequente assédio moral. Falta pessoal qualificado ou mesmo efetivo na Funcarte?
È muito mais sério. Inexiste quadro administrativo efetivo na Funcarte. Afora alguns poucos servidores de nível médio/fundamental cedidos de outras secretarias do município, a administração é conduzida por cargos comissionados. Quando muda de gestão e troca todo (ou quase todo) o quadro comissionado, para encontrar um processo do ano anterior é um martírio. Já houve casos em que exonerados levaram as chaves das salas. Isso é um absurdo, uma negação à continuidade dos serviços públicos. Por exemplo, quando cheguei em 2005, passei mais de seis meses procurando a publicação do regimento interno da Fundação. Sem ela não podíamos sequer apresentar um projeto ao MinC. Em suma, não há memória administrativa e isso é muito mais sério do que pode parecer. No âmbito estadual, agora estão nessa discussão: Secretaria versus Fundação. O que é melhor? O melhor é pessoal efetivo técnico e qualificado e não ficar à mercê de apadrinhados políticos.

Quais funções você acumulava?
Várias. Ora de uma, ora de outra. Mas havia uma carência de cobertura maior no setor administrativo-financeiro, que de fato não tem estrutura de pessoal. Movimenta mais de 10 milhões de reais/ano sem sequer um técnico de contabilidade ou de administração. Um caos. A classe artística tem que lutar por isso da mesma forma como luta pelos seus cachês, porque ao final, uma coisa repercute na outra.

Foram dois anos de trabalho com o mesmo presidente. Por que você não saiu antes ou denunciou o assédio ao Ministério Público?
Correção: o presidente atual tinha assumido há um ano e três meses e nos primeiros meses tínhamos uma relação tranquila e ele enaltecia bastante meu conhecimento, que é muito específico. Houve um episódio em abril do ano passado no qual eu disse que um projeto era inexequível tecnicamente. A partir daí, tudo que eu levantava como inviável era tido como picuinha ou oposição. Passou a haver uma bipolaridade. Uma hora o afago, a outra o xingamento. Levei tempo para ver que estava perdendo mais do que ganhando. Mas um dia vem a gota d’água e a indignação fala mais alto. A carta foi um rompante; acho que meu pedaço Antônio Félix, meu avô. Inadmissível tanta imoralidade no seio da administração pública, menos ainda numa entidade de cultura que deveria irradiar sabedoria e arte. Disseram-me que minha carta foi levada à Promotoria de Cidadania. Acho bom. O episódio pode deixar que outros com a mesma conduta fiquem em alerta e, como se diz, botem a barba de molho.

Dois convênios com o Governo Federal foram cancelados e Natal perdeu mais de R$ 400 mil. A culpa foi de quem: sua, do presidente ou de estrutura da Funcarte?
Os dois foram por falhas administrativo-financeiras. Um porque o empenho não foi realizado dentro do prazo do convênio com o IPHAN. O outro porque no momento do repasse do Fundo Nacional de Cultura, que foi na virada de 2009/2010, a Funcarte estava inadimplente com o INSS. Apesar de às vezes ajudar nas tarefas do setor administrativo-financeiro por ordem da presidência, meu cargo não tinha qualquer responsabilidade sobre empenhos e regularidade fiscal da Fundação. Isso é muito claro no regimento interno.

Falta planejamento ou orçamento à Funcarte? Por que tantos atrasos de pagamento com fornecedores e artistas?
Uma coisa é não ter planejamento e outra é não seguir o que foi planejado. O problema está na execução orçamentária e, claro, na disponibilidade financeira que já é outra história. Orçamento é bem diferente de financeiro e sabemos que o segundo caiu muito nos últimos anos.

Você herdou a gestão de Rinaldo Barros e assumiu a assessoria técnica da Funcarte nas gestões de Dácio Galvão, César Revoredo e Rodrigues Neto. Quais os méritos e defeitos de cada gestão em sua opinião?
Ah, é muito arte, muita história. A parte boa todos conhecem porque é notória. O lado ruim é o improviso, a falta de conhecimento sobre a administração pública que é o dominante na Funcarte. O Princípio da Legalidade é muito incisivo para o gestor que só pode agir se está previsto na Lei. Não há muro. Ou se está dentro ou fora dela. Mas há casos que chegam ao absurdo, como um tombamento patrimonial feito em 2004 por um conselho municipal que não existia legalmente. Isso teve conseqüências irreversíveis. Eu ocuparia muito espaço se eu fosse enumerar outros; seria enfadonho.

Dê exemplos atuais desse desconhecimento sobre administração pública.
Um edital ser publicado na véspera do final das inscrições, como foi o de Rei Momo e Rainha do Carnaval esta semana. Outro? Onde está o expediente que define requisitos, valores e critérios para distribuição de auxílios financeiros para o Carnaval? Estamos a 15 dias do período momesco, isso tinha que ter sido publicado com 45 dias de antecedência, pelo menos. Mais um? Jamais um gestor público pode ordenar despesa com um patrocínio que depende de análise de um relatório de retornos midiáticos, como o caso da Petrobras. A administração pública só pode gastar com o orçamento já incorporado, ou seja, nesse caso, o orçamento na conta ouvindo a conversa. A Funcarte parece que não é mais regida pelo direito público, o Ministério Público precisa ser informado disso. Imagine como seria tratado um técnico lá dentro lembrando esses requisitos legais o tempo todo.

O que fará daqui pra frente?
Continuo dando a assessoria a vários projetos culturais e instituições da cidade. Voltarei a ministrar cursos, que é outra paixão: ensinar. Terei tempo também para produzir, algo que estou afastada há tempos, com predileções por dança e música instrumental, ambos fazem parte da minha vida pessoal. Ah, e tem o mestrado começando em março...

* Matéria publicada no Diário de Natal (AQUI)

A Jabulani da Terezinha

No Diário de Natal
matéria de hoje

O programa Fantástico, da TV Globo, exibe neste domingo o resultado do Concurso Nacional de Marchinhas Carnavalescas e A Jabulani da Terezinha leva o nome de Natal na disputa junto a oito concorrentes cariocas e uma paulista. O compositor é o bancário aposentado Otami Porpino. Foram quase mil inscrições até a seleção das dez melhores marchinhas de 2011. A Fundição Progresso, responsável pela promoção desta sexta edição do concurso, fará a escolha das três melhores, e o Fantástico abrirá votação popular para definição do primeiro, segundo e terceiro lugares, em um grande baile na Lapa, aos moldes antigos onde também será lançado o CD com as músicas finalistas deste ano.

aqui

sábado, 19 de fevereiro de 2011

A moda das Kengas

No Diário de Natal
matéria de hoje

O tradicional Baile das Kengas muda de endereço, desce a ladeira e joga toda sua irreverência de 28 anos na Rua Chile, Ribeira. O espaço entre o Armazém Hall e o Centro Cultural DoSol foi o cenário escolhido pelo produtor Lula Belmont para a festa ocupar três ambientes com seis atrações. No armazém Hall a Orquestra Don Cardoso e Seus Metais abrirá a noite, depois o show da cantora Kelly Wange e encerramento com Isaque Galvão. O DoSol será transformado em espaço eletrônico e deverá ir até de manhã com três DJs; Dj Gabriel Cabral, DJ Bee e o performático DJ Paulino Chacon. O trecho da Rua Chile vai virar um Lounge ambientado por Fernando Mendes.

aqui

Arquivo Vivo prepara CD autoral

Admirável a batalha do grupo de samba Arquivo Vivo em lançar seu primeiro CD. Quem acompanha o grupo desde o início reconhece o trabalho abnegado dos integrantes e o crescimento gradativo da banda. Começaram ali pelo Buraco da Catita, subiram a ladeira e encontraram o Beco da Lama. Todas as quintas-feiras eles fazem roda de samba no Bar de Nazaré. E de um ano pra cá, expandiram horizontes e ganharam os palcos do Praia Shopping, Tom Maior e outros mais que reconhecem no som o melhor grupo de samba de Natal, ao lado do Linha de Passe.

Conversava com o vocalista e cavaquinista Marquinho essa semana. O grupo tem feito shows como pode para cobrir o investimento de quase R$ 12 mil em um CD totalmente autoral. E se o Arquivo Vivo ainda galga espaço e retorno financeiro com a música, ainda assim a galera preferiu procurar os melhores estúdios, profissionais e material gráfico. O CD será confeccionado na Sony, mesmo sendo o lugar mais caro. Deve vir em março. Marquinho me disse que a intenção era apresentar o melhor resultado possível para estreia e só depois procurar o reconhecimento.

É desse tipo de artista, talentoso e perfeccionista que Natal dispõe. Mas essa cidade é muito escrota, sabe? A cada dia tenho mais certeza disso. Conversava também essa semana com Leonardo Barata e foi tanta história contada que quase ligava a quem um dia me ofereceu possibilidade de emprego longe daqui. Aposto que o CD dos meninos ganhará alguma midia, alguma venda, pouquíssimo dinheiro para amenizar o investimento e depois ficarão presos aqui, do jeito que começaram. Natal parece querer fritar todos os seus filhos no refogado para comer junto com um McDonalds.

Carlos Alexandre Jr no Talento Potiguar

Neste sábado, o programa Talento Potiguar recebe Carlos Alexandre Júnior, que lançará um CD com músicas em homenagem ao saudoso Carlos Alexandre, que nos deixou no dia 30 de janeiro de 1989, com apenas 32 anos de idade e que, em apenas 10 anos de carreira, gravou 12 discos, vendeu 1,5 milhão de cópias e ganhou nada mais do que 12 Discos de Ouro - fato extraordinário. No final da sua participação, Carlos Alexandre Júnior mostrará pela primeira vez na TV a música em homenagem a Carlos Alexandre, Tributo Ao Meu Pai, quando serão mostrados – também pela primeira vez – todos os Discos de Ouro conquistados pelo saudoso cantor potiguar. Foi um momento que emocionou a todos no estúdio por se tratar do resgate e da homenagem a um dos artistas mais populares do Brasil. É na SIMTV, neste sábado às 11h30 com reapresentação no domingo, às 8h30.

Nota da ministra Ana de Hollanda

"O programa Cultura Viva, do Ministério da Cultura, é um marco da cena pública de práticas e experiências que forjam as políticas culturais no Brasil. Iniciado em 2004, possibilitou desvelar uma enorme rede criativa no país, com a implantação de pontos de cultura em todo o território nacional.

Conforme dito no meu discurso de posse no MinC, este ministério reconhece, valoriza e tem claro a necessidade da continuidade e aprimoramento do programa Cultura Viva, sobretudo a partir de um intenso diálogo com todos os setores dessa conquista histórica.

Com a chegada de novos colaboradores, há um esforço concentrado para enxergar a realidade e particularidades de cada Ponto de Cultura, com o claro intuito de superar as dificuldades enfrentadas, avançar e aperfeiçoar essa construção política.

A nova Secretaria de Cidadania e Diversidade Cultural tem o objetivo de integrar ações, criar sinergias, articular redes, aumentar o nível de cooperação, ampliar a visibilidade e potencializar a diversidade e as singularidades --e, em especial, inovar o exercício de uma plena cidadania cultural do povo brasileiro."

(Ministra Ana de Hollanda)

sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

5 minutos de alegria nesta sexta

São só cinco minutinhos de alegria. Poucas vezes a vida oferece mais do que isso assim, ininterruptamente. Então, cliquem aí. Detesto frases imperativas, mas talvez valha a pena. É música! É simplicidade em diferentes pontos do mundo. O cego barbudo me provocou arrepios. Um simples pedido: Fica comigo! Stand by me!

E aí entram os técnicos de som e imagem voluntários ocupados em captar o som de cada um dos "cantores", individualmente. Posto isto e remisturado, atingindo um nível de pureza musical notável e de união de pessoas no mundo numa mesma linguagem universal, pela musica. É só clicar AQUI.

Zé Renato, Renato Braz e Khrystal no TAM


por Zé Dias
via e-mail

Veja a foto do show de ZÉ RENATO e RENATO BRAZ que farei em NATAL no TEATRO ALBERTO MARANHÃO lançando o DISCO 'PAPO DE PASSARIM' no dia 25.03.2011, dentro das FESTIVIDADES de ANIVERSÁRIO do TEATRO ALBERTO MARANHÃO. Na abertura deste grande encontro musical, às 20h30, KHYSTAL apresenta seu show O TREM. Os ingressos custarão R$ 20 e R$ 10 e divulgarei na próxima semana o PONTO DE VENDA. Quem quiser reservar COMIGO INGRESSOS de INTEIRA, irei entregar em DOMICÍLIO, é só mandar o EMAIL com o ENDEREÇO (zede@digi.com.br).

Escute Que é Daqui

A divulgação de quais artistas tocarão no carnaval 2011 da prefeitura de Natal será feita entre segunda e terça-feira da próxima semana, segundo estimativa da coordenadora do evento, Cida Campello.

Há chance de o projeto Escute Que é Daqui, com ótimo resultado o ano passado, se repetir neste ano. O projeto idealizado pelo produtor Nelson Rebouças seleciona dez músicos potiguares para tocarem duas vezes em palcos montados nos polos carnavalescos.

O problema é que o projeto foi entregue hoje. Segundo Cida me informou agorinha, sequer o protocolo chegou em suas mãos. "Só soube porque Nelson veio aqui me avisar". Ainda assim, ela disse que irá tentar aprovar junto ao presidente Rodrigues Neto.

Qual a vantagem? Nada está definido ainda. Então, o projeto será estudado junto a outras opções e pode vingar.

Os dez artistas apresentados no projeto para este ano são: Pedro Mendes, Geraldo Carvalho, Romildo Soares, Carlos Bem, Orquestra Boca Seca, Lene Cardoso, Michele Lima, Mazinho Viana, Sérgio Preto e Ivando Monte, este último com CD pronto só com frevos inéditos.

São praticamente os mesmos nomes nomes do ano passado, com as substituições de Júlio Lima (em Porto Alegre), Carlos Zens (que se recusa a participar de qualquer projeto municipal até receber seus atrasados) e Sueldo Soaress (que foi buscar fora do Estado espaço para cantar).

O cachê solicitado à Funcarte para cada show foi de R$ 3 mil. O valor está acima dos R$ 2 mil pedido em 2010 (que fechou em R$ 1,5 mil para cada um dos dois shows). A intenção é deixar a Funcarte à vontade para baixar o valor e patrocinar um show ou pagar o valor integral com dois shows. Ou ainda negociar alternativas.

Exposição do Poetas, Carecas, Bruxas e Lobisomens


O tradicional bloco de Ponta Negra, o Poetas, Carecas, Bruxas e Lobisomens faz parte das atrações do carnaval do Praia Shopping. Até o dia 04 de março, sexta-feira que antecede a folia de momo, o público do shopping pode conferir uma exposição com fotos e alegorias do bloco, além da venda de camisetas, ao preço de R$ 20 cada, com o tema da agremiação para 2011. O Poetas, Carecas, Bruxas e Lobisomens desfila pelas ruas do bairro há sete anos, durante o sábado de carnaval.

quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

Cachê deve sair até o fim da próxima semana

A previsão estipulada pela Funcarte para o pagamento dos artistas participantes do projeto da Árvore de Natal e Cortejo de Natal ultrapassou quatro dias hoje e a nova estimativa é até o fim da próxima semana. Os R$ 500 mil pendentes da Petrobras foram depositados no caixa da Fundação segunda-feira, segundo informação da assessoria de imprensa do órgão. Agora, a liberação depende da agilidade da Controladoria e Secretaria de Planejamento.

A promessa do presidente Rodrigues Neto publicada no Diário de Natal foi de que todos os artistas seriam pagos antes do carnaval. Seria “ordem da prefeita”. Quando finalizar a próxima semana, faltarão quatro dias para a entrega das chaves ao Rei e Rainha do Carnaval, agendado para o dia 3 de março no Largo do Atheneu (Petrópolis), no tradicional Baile de Máscaras.

À equipe do jornal, a assessoria da Petrobras informou da condição para o repasse final dos valores do patrocínio em seus contratos a prestação de contas das contrapartidas previstas. “O repasse dos valores de patrocínio é condicionado à apresentação do relatório final por parte do patrocinado, com o pagamento sendo realizado em até 30 dias após isso”.

Segundo Rodrigues Neto informou em matéria publicada na quinta-feira (5/2) no DN, a assessoria de Comunicação da prefeitura estava “correndo contra o tempo” na tentativa de entrega do relatório no dia seguinte.

Em resumo: o Natal em Natal terminou dia 6 de janeiro. Se houvesse planejamento, esse relatório podia ser elaborado durante o evento e entregue poucos dias após o término. Ainda em janeiro esse dinheiro seria liberado. Basta comparar: o relatório foi entregue dia 6 de fevereiro e a Petrobras liberou dia 14, oito dias depois.

Mas é o serviço público. Esse epísódio podia se chamar: Eu sei o que você fez no verão passado.

Ninguém na CMN para discutir gastos do carnaval

Aí a vereadora Regina promove audiência pública na Câmara Municipal para debater novos meios de fortalecer a programação do carnaval urbano em Natal e viabilizar estratégias junto à iniciativa privada para fomentar o trabalho das escolas de samba e tribos de índio da cidade e advinha. Ninguém das escolas de samba ou tribos de índio compareceu. Na reunião, Sargento Regina colocou em debate pontos como o apoio da iniciativa privada para as agremiações carnavalescas e a possibilidade de transferência do desfile das escolas de samba e tribos de índio da Ribeira para as orlas de Areia Preta e Praia do Forte. A audiência contou com a presença do presidente da Funcarte, Rodrigues Neto, e representantes de entidades não-governamentais de apoio à cultura. E só. E quem deveria reclamar dos atrasos, da pouca grana, do apoio ínfimo, dos critérios de pagamento, de possíveis irregularidades e por aí vai, fica em casa. Fica difícil.

Obras da Cidade da Criança serão retomadas

Release

A governadora Rosalba Ciarlini recomendou a retomada das obras da Cidade da Criança, após um estudo de readequação orçamentária. Na tarde de ontem, a secretária extraordinária de Cultura, Isaura Rosado, representantes da Secretaria de Infra-Estrutura e da empresa MK Engenharia estiveram na Cidade da Criança para avaliar a situação da obra. Ficou definido que será realizada uma readequação no orçamento, mas sem comprometer a qualidade do espaço no coração do Tirol.

Num primeiro momento serão entregues a biblioteca, a Escola de Arte, o Museu de Taxidermia, o Museu do Brinquedo, Cinema, Playground, Estação de Pedalinhos e todo o projeto de paisagismo.

Dos R$ 7,5 milhões previstos para o projeto, apenas R$ 500 mil foram pagos, sendo que R$ 1,5 milhão fazem parte da dívida de R$ 8 milhões da FJA. Para a conclusão da primeira etapa, serão investidos mais R$ 3 milhões. Na segunda etapa, serão investidos os restantes R$ 2,5 milhões.

Entrevista - padre Marcelo Rossi

Ágape atrai multidão

O padre Marcelo Rossi provocou uma romaria ao Midway durante o dia de ontem. Se as romarias ou procissões estão relacionadas ao culto de uma imagem, esta pode ser a do livro Ágape, lançado pelo padre em 2010 – o livro mais vendido da história do mercado editorial brasileiro. A comerciante Benedita Barbosa, 27, chegou às 22h30 do dia anterior, dormiu na grama do shopping e esperou abrirem as portas às 10h para ser a primeira da fila. A acomodação foi um saco de nylon com papeis picados que achou na rua e colocou como encosto. Benedita foi apenas uma das mais de 2 mil pessoas na fila formada no estacionamento do Midway antes da abertura do shopping.

A garçonete Maria Gorete, 36, chegou uma hora depois e fez companhia a Benedita. Disseram que passaram a madrugada em conversas e leituras do livro até o dia amanhecer. “Umas cinco horas começou a chegar gente, e vieram de vez”, comentou Gorete. Caravanas de Caicó e Caiçara do Rio dos Ventos trouxeram gente do interior. Benedita disse saber do perigo enfrentado. Deixou esposo e filho em casa. “Liguei, disse que estava bem e coloquei Deus na frente pra me proteger. Preciso falar ao padre para não parar essa obra linda porque salvou minha família com sua graça e pode salvar muito mais gente”, disse.

A segurança do shopping aumentou 15 homens e reservou a garagem do 3º piso exclusivamente para a fila. A brigada de incêndio e primeiros socorros estavam presentes. A entrada na livraria foi permitida às 130 primeiras pessoas, todas elas sentadas e à espera do contato pessoal com o padre. Apenas cadeirantes gozaram da preferência no atendimento. A justificativa dos seguranças é de que a maioria era de idosos. No interior da livraria foi montado um banheiro químico cercado por tenda para o padre. Marcelo Rossi chegou às 11h20 e a previsão foi de saída apenas ao fechar da livraria. A única pausa seria de dez minutos para um lanche.

A chegada do padre iniciou cânticos em uníssono na fila e acenos ao padre já no interior da livraria. Celularem em punho registravam em fotos o momento. Sentado à mesa, todo vestido de preto, o padre pediu a colaboração para evitarem “confissões” porque a fila fazia um “caracol” e precisava atender a todos. Pouco depois brincou com o silêncio: “Tem que gritar. Cadê a família potiguar?”. Na primeira entrevista à TV, pediu um “si bemol” ao guitarrista próximo e proferiu a primeira palavra do mais novo sucesso: “Nada...”. E a sequência foi toda da plateia. Os livros eram vendidos aos montes. Tinham seis mil unidades, com expectativa de venda total.

O título, Ágape, tem origem grega que significa amor. No livro, o autor apresenta trechos selecionados do Evangelho de São João e os reinterpreta à luz do significado do amor divino no mundo contemporâneo. Madre Teresa de Calcutá e Zilda Arns são alguns exemplos evocados pelo sacerdote para ilustrar as manifestações do ágape, seja pela via da caridade, seja na forma do amor ao próximo, sem exigências nem cobranças. O amor ágape, salienta o autor, não é contemplativo nem se encerra no indivíduo, mas exige ação pessoal e ação interpessoal.

As palavras com a imprensa foram rápidas. Mas, nesta breve entrevista, padre Marcelo Rossi, que promoveu lançamento na 23ª cidade, comentou seu momento 'ágape' e, além de mencionar o recorde brasileiro quanto à venda da obra, revelou curisiosidades como a homenagem do papa Bento XVI ao pároco, com premiação no Vaticano, entre outros aspectos.

Entrevista – Marcelo Rossi

Há algumas décadas padre Zezinho iniciava essa missão de evangelizar pela música, sem a mesma popularidade. Qual a diferença para o hoje?
São propostas diferentes. Padre Zezinho pregou o evangelho dentro da igreja. Eu fui pra fora. Somos amigos, cada um com sua missão. Após 13 anos posso dizer que fui muito criticado. Apresentação em programas como o Faustão, lançamento de CDs de sucesso. Mas eu pensei comigo: “Me deem um tempo e provarei a validade disso tudo”. Ano passado escrevi esse livro. E nunca história da literatura brasileira se vendeu dois milhões de livros em menos de seis meses.

Como foi o processo?
Vou contar uma curiosidade: na semana de lançamento do livro soube que o Papa queria me homenagear com o Prêmio Van Thuân 2010, porque me consideraram um evangelizador moderno. Foi um reconhecimento pela minha forma de divulgar a palavra de Deus. Uma semana depois quebrei meu pé. Mas precisava estar no Vaticano para receber o prêmio de suas mãos. Quer dizer, fui pela fé, pela força de vontade. É o que conto no livro. E olha que não sou de escrever, hein? Minha área é o canto, mas Deus me deu esse livro.

Qual a linha divisória entre o astro pop e o homem religioso?
Sou padre; não sou artista. Não faço show; sou reitor de um santuário, ministro missas. Isso que faço aqui é um contato pessoal. Todos que vieram serão atendidos. Qual o artista que você conhece faz isso? E olha que Natal é a 23ª cidade. E não paro por aqui. Sabe o que é isso? Isso é ágape!

Do blogueiro: Esqueci de colocar na matéria a ressalva do padre assim que terminei a entrevista. Minha última pergunta fez o padre comentar ao microfone para o público: "Não sou artista. Não autografo livros. Faço aqui uma dedicatória". Até lembrei da entrevista com Ariano Suassuna. No dia seguinte, nas aulas-show dele, na UnP, o escritor comentou: "Ontem um repórter me perguntou se eu gostava dos Beatles". Sem mais.